António Cruz

Artista plástico português, António Amadeu da Conceição Cruz nasceu no Porto, em 1907, e faleceu, na mesma cidade, a 29 de agosto de 1983. Formado na Escola Superior de Belas-Artes do Porto - onde, a partir de 1963, lecionou aulas de Desenho - foi bolseiro do Instituto de Alta Cultura, tendo, nas décadas de 30 e 40 do século XX, viajado por diversos países europeus. Recebeu, entre outros, os prémios José Tagarro, de desenho, em 1947, Henrique Pousão, de pintura, também em 1947, e Teixeira Lopes, de escultura, em 1948.
Seria, no entanto, como pintor de aguarelas que António Cruz se evidenciaria, tendo mesmo sido considerado o maior aguarelista dos tempos modernos, renovador desta técnica e único na transposição para o papel da luminosidade nevoenta, húmida e misteriosa, característica da sua cidade natal. Os seus quadros sobre o Porto, assim como o próprio artista, foram, por isso, as figuras centrais do documentário realizado por Manoel de Oliveira em 1956, O Pintor e a Cidade, que ganhou a Harpa de Ouro do Festival de Cork, na Irlanda.
De entre as várias exposições individuais do trabalho de António Cruz, destacam-se as realizadas em 1939 e 1982, ainda durante a vida do pintor, e também a de 1989, na Casa do Infante, no Porto, feita postumamente. Este pintor portuense encontra-se representado no Museu de Arte Contemporânea.
Como referenciar: António Cruz in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-18 15:00:39]. Disponível na Internet: