Aperture

A revista Aperture foi fundada em 1952 por Minor White, Nancy Newball, Beaumont Newball, Dorothea Lange, Barbara Morgan e Dody Warren. A partir de 1963 passou a ser publicada por uma fundação sem fins lucrativos, a Aperture Inc., dedicada à promoção da fotografia como forma de expressão artística. A ideia surgiu com base num projeto de Alfred Stieglitz - a revista Camera Work. Também esta nova publicação tinha como intuito servir os fotógrafos e o meio.
No número inaugural declararam: "Aperture foi criada para comunicar com os verdadeiros fotógrafos e pessoas criativas de todo o lado, quer sejam profissionais, amadores, ou estudantes. Pretendemos ser um jornal maduro, onde os fotógrafos possam comunicar entre si, discutir os problemas que definem a fotografia como profissão e arte, partilhar experiências, comentar novidades, descobrir novos potenciais. Nós, que fundamos esta publicação, convidamos outros a usar a Aperture como terreno para a evolução da fotografia." Com Minor White como editor, e apesar dos anos financeiros complicados, a Aperture continuou a ter uma qualidade e excelência sem precedentes. À sobrevivência deste projeto esteve principalmente associada a generosidade de Shirley C. Burden e dos subscritores que ainda existiam. Nos anos 60, Minor White juntou-se a um antigo aluno, Michael E. Hoffman, que passou a assumir a maior parte da responsabilidade na edição e publicação. Michael E. Hoffman acabaria por lançar o Aperture's Book, que incluía o programa baseado nos valores fundamentais da organização, e também por relançar a revista que já tinha cessado a sua publicação.
A primeira monografia publicada pela Aperture, intitulada "Edward Weston: The Flame of Recognition", vendeu mais de 200 mil exemplares. A partir daí, a Aperture ganhou vários prémios e conquistou boas críticas.
O último número desta revista foi editado em 1975.
Como referenciar: Aperture in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-18 03:44:10]. Disponível na Internet: