aposto

Função sintática da gramática tradicional que se junta a um substantivo ou a um pronome com função de explicação, descrição ou acrescentamento de informação. O aposto sucede ao substantivo e é normalmente separado por pausa na oralidade e assinalado por vírgulas na escrita. O aposto é um complemento nominal e pode realizar-se através de um sintagma nominal (SN) ou de um sintagma adjetival (SADJ). O aposto pode também ser representado por uma oração inteira (cfr. exemplo iv):

i) O António, o teu colega, pode ajudar-te.
ii) Dido, rainha de Cartago, suicidou-se por amor. iii) Os alunos, eles mesmos, é que fizeram o projeto.
iv) Desejo uma coisa: que cumpras a promessa.

A TLEBS não contempla a função sintática de aposto, substituindo este termo por modificador do nome apositivo (vi). No registo escrito, os modificadores apositivos são sempre separados dos nomes a que se referem por vírgulas.
(vi) Miguel Torga, um poeta português, escreveu Bichos.
Como referenciar: aposto in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-10 11:33:52]. Disponível na Internet: