arca

A simbologia da arca esteve sempre ligada ao feminino e à fecundidade regeneradora do Universo, tanto no que diz respeito à Arca de Noé, na tradição judaico-cristã, como também relativamente à mitologia hindu, em que o peixe Vishnu salva numa arca flutuante o legislador do ciclo anual Manu. Os nomes hebraicos referentes à Arca da Aliança, tebah - caixa ou edifício de teto plano ou barco - e aron - baú de madeira ou caixão -, dão uma ideia, embora de dimensões variáveis, do recetáculo onde estariam guardados objetos sagrados dos quais alguns diziam ser as duas tábuas da lei, a vara de Aarão e um vaso cheio de maná que alimentaria o povo hebreu no deserto. Segundo a Bíblia, a arca era tão poderosa que chegava a provocar a morte daqueles que a tocavam e até dos crentes pelo simples facto de a olharem. Por essa razão, Deus decidiu abandoná-la no tempo de Jeremias, ordenando que todos se esquecessem dela e proibindo a construção de qualquer outra arca. Uma lenda diz ainda que a Arca da Aliança foi escondida por Jeremias e que voltará no começo de uma nova era. Associado à Arca da Aliança estava o assento da piedade, chamado em hebraico de kapporeth, que era uma espécie de prato dourado que se colocava na tampa da arca e que servia para aplicar a justiça.
A Arca da Aliança da Bíblia foi inspirada nos santuários em forma de arca dos egípcios, dos acádios e dos caldeus, transportados por varas que eram enfiadas nos seus anéis laterais, e que eram utilizados para guardar símbolos ou fetiches sagrados de natureza sexual. O nome sânscrito para arca era argha, uma espécie de barco da lua, de conotação feminina, que guardava as sementes da vida durante o percurso da passagem de um universo para outro, ou seja, da desorganização do caos para o cosmos recriado. A Arca de Noé também tinha a mesma simbologia de fecundidade, de encerrar em si a semente da vida durante o período do dilúvio purificador e de recriar o universo. Segundo as escrituras gnósticas, Norea, a filha de Eva, lançou o seu sopro quente sobre a primeira arca construída por Noé, queimando-a.
A arca é um dos símbolos mais ricos da tradição cristã. É um recetáculo protegido por Deus em Noé, símbolo da Sua Aliança e presença junto do Povo Escolhido da Bíblia e também símbolo da Igreja. De alguma forma, representa também o cofre onde são guardados os tesouros do conhecimento e da vida na sua conservação e regeneração cíclicas.
Como referenciar: Porto Editora – arca na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-26 14:20:23]. Disponível em