Armando Sevinate Pinto

Político português, Armando José Cordeiro Sevinate Pinto nasceu em 1946, em Ferreira do Alentejo. É formado em Engenharia Agrónoma pelo Instituto Superior de Agronomia, em Lisboa. Aos 24 anos começou a trabalhar, tendo sido admitido no Centro de Estudos de Economia Agrária da Fundação Gulbenkian. Ao fim de seis anos passou para o Ministério do Comércio, como técnico superior, seguindo-se o Ministério da Agricultura, onde desempenhou sucessivamente os cargos de técnico superior, diretor de serviços e diretor-geral. Neste período, que durou até 1986, foi ainda membro da Comissão Interministerial para a Integração Europeia e participou nas negociações de adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia (CEE).
Em 1987, já com Portugal integrado na CEE, passou a diretor na Comissão Europeia, primeiro no FEOGA e na Investigação Agrícola e depois, a partir de 1989, no Desenvolvimento Regional. Nesta época foi um dos obreiros das medidas de acompanhamento da última reforma da Política Agrícola Comum, nomeadamente nas áreas agroambiental, florestação das terras agrícolas e reformas antecipadas. Esteve como diretor em Bruxelas, na Bélgica, até 1993, mas em julho desse ano regressou a Portugal, a seu pedido. O seu trabalho em Bruxelas foi reconhecido como meritoso, tendo sido considerado um dos mais prestigiados altos funcionários portugueses da União Europeia. Passou, então, a dedicar-se a à consultoria agrícola, concretamente nos domínios da economia agrária, análise setorial e do desenvolvimento rural. Esta atividade foi exercida na empresa de consultoria do setor AGROGES, da qual era sócio e coordenador técnico. Paralelamente, foi consultor da Confederação dos Agricultores de Portugal e professor universitário.
Em abril de 2002, Sevinate Pinto passou a desempenhar o cargo de Ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas a convite do primeiro-ministro social-democrata Durão Barroso. Chegou ao Governo na qualidade de independente já que não tinha filiação partidária. Considera-se a si próprio um militante da agricultura, pois toda sua carreira, académica e profissional, esteve ligada a esta área. A propósito de agricultura foi responsável por cerca de 150 publicações, entre livros, revistas, estudos e jornais, tendo também participado em números congressos, seminários e reuniões técnicas.
Foi substituído por Costa Neves no cargo de Ministro da Agricultura a 17 de julho de 2004, altura em que tomou posse o XVI Governo Constitucional liderado por Santana Lopes.
Como referenciar: Armando Sevinate Pinto in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-03-25 08:26:27]. Disponível na Internet: