Arte Móvel

O conceito de Arte Móvel assume um papel fundamental no universo artístico paleolítico, em conjunto com duas outras categorias: a arte de tipo parietal e rupestre, ambas posteriores.
A Arte Móvel inclui os adornos de tipo pessoal bem como todos os elementos gravados, pintados ou esculpidos, cujo tamanho reduzido e portabilidade facilitem a movimentação e transporte. Contudo, esta "categoria" artística inclui um universo vasto de elementos decorados realizados em osso, dentes, presas de animais, entre outros, bem como objetos utilitários com decoração fabricados em materiais duros, tais como elementos em pedra retocados e pontas restantes de osso, ou pequenas placas pétreas. Ocasionalmente os gravados assumem a forma de padrões abstratos de linhas e pontos ou sequências de ondulados e curvas, com frequência classificados como narrações de caçadas ou registos de movimentos lunares. De cariz particular são as representações das denominadas "Vénus" (como a de Willendorf), de tamanho reduzido, compostas de imagens femininas com representação exagerada da dimensão dos seios e nádegas. O universo representativo inclui diversas representações humanas (bustos, figuras estilizadas, estatuetas) e animais.
A idade dos elementos de Arte Móvel é normalmente fácil de estabelecer, uma vez que se encontram em depósitos arqueológicos que podem ser datados por métodos relativos ou absolutos.
Como referenciar: Arte Móvel in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-16 11:31:57]. Disponível na Internet: