As Linhas de Nazca

As Linhas de Nazca são um conjunto de inscrições no terreno e linhas direitas desenhadas no deserto peruano pelo povo Nazca, que terá povoado aquela região entre 200 a. C. e o ano 600. As inscrições foram feitas ao longo dos rios provenientes dos Andes num deserto que se estende por mais de 2,2 km ao longo do Oceano Pacífico.
A área onde estão os desenhos é conhecida por Pampa Colorada e tem 24 quilómetros de largura por quase 60 de comprimento. A área é paralela aos Andes e ao mar.
O deserto é composto por pedras vermelho-escuras e solo escuro, que ao ser ligeiramente escavado expõe um subsolo mais claro, formando os traços, que se estendem a algumas colinas próximas. Uma vista aérea permitiu constatar que para além de linhas e formas geométricas também foram desenhados animais (lagartos, aranhas, macacos, lamas e pássaros, etc.), seres humanos e plantas. Calcula-se que o processo de criação terá demorado centenas de anos, tendo sido trabalhado por um número incalculável de pessoas.
Dadas as dimensões gigantescas das Linhas de Nazca há quem defenda a tese que houve intervenção extraterrestre neste projeto, por não reconhecerem capacidades ao povo índio da época para tal feito. Nem a nível de inteligência nem a nível tecnológico. Alguns investigadores defendem mesmo que se trata de uma espécie de aeroporto para naves alienígenas.
Tendo sido os Nazca a conceber as Linhas, há teses que sustentam que elas serviam para fazer corridas a pé, que serviam de calendário (até porque foram identificados nos desenhos alinhamentos astronómicos) ou tinham propósitos religiosos. Aliás, figuras das Linhas Nazca são iguais a desenhos encontrados em olaria descoberta em locais fúnebres nas proximidades.
O facto da superfície do deserto ser em pedra permitiu a manutenção dos desenhos, pois por o solo ser escuro há um aumento da absorção do calor. A camada de ar quente que fica junto ao solo acaba por protegê-lo dos ventos e consequente erosão.
Como referenciar: As Linhas de Nazca in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-23 21:36:46]. Disponível na Internet: