Australopithecus anamensis

Esta espécie foi batizada somente em agosto de 1995. O material proveniente da jazida revelou nove fósseis, a maior parte descobertos em 1994, em Kanapoi, no Quénia, e doze fósseis, sobretudo dentes, encontrados em 1988, na Baía de Allia, igualmente no Quénia.
Os anamensis existiram entre 4,2 e 3,9 milhões de anos, apresentando uma mistura de elementos primitivos ao nível do crânio e de características evoluídas no corpo. Os dentes e maxilares são muito semelhantes aos dos fósseis dos macacos antigos. Uma parte da tíbia (o mais largo dos dois ossos inferiores da perna) revelou uma forte evidencia de bipedismo, e o úmero inferior uma acentuada semelhança com o equivalente humano.
Apesar de se considerar que o crânio e os ossos do esqueleto pertencem a uma mesma espécie, a verdade é que tal premissa não foi ainda confirmada.
As mais recentes investigações parecem colocar o anamensis como a única espécie de Australopithecus a partir do qual evoluiu o primeiro Homo, o habilis, e consequentemente o Homem moderno.
Como referenciar: Porto Editora – Australopithecus anamensis na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-03 07:43:29]. Disponível em