axiomas de comunicação

Teoria proposta nos anos 60 pelo grupo interdisciplinar de estudiosos americanos, conhecido como Escola de Palo Alto. O grupo foi liderado por Gregory Bateson, Edward T. Hall e Paul Watzlawick. O essencial da teoria residia na aceitação de que a comunicação é uma espécie de matriz social (Social Matrix) onde se refletem todas as atividades humanas. Esta teoria surgiu como resposta ao esquema da comunicação proposto por Claude Shannon em The Mathematical Theory of Communication (1949). Esquema da comunicação telegráfica proposto por Shannon, foi quase dogmaticamente adaptado por várias disciplinas científicas. O grupo de Palo Alto considerou o esquema da comunicação linear (emissor, recetor, código e canal) como demasiado estático para a aplicação nas ciências sociais e humanas.
A comunicação, como um processo social integrante, foi comparada a uma orquestra sinfónica onde cada músico é continuamente emissor e recetor das mensagens artísticas. Cada signo é, ao mesmo tempo, um estímulo, uma reação e um reforçamento de outros estímulos.
A abordagem interdisciplinar permitiu formular cinco axiomas de comunicação:
1 Impossibilidade de não comunicar;
2 Níveis da comunicação: conteúdo e relação;
3 Pontuação da sequência;
4 Comunicação digital e comunicação analógica;
5 Interação simétrica e complementar.

Como referenciar: axiomas de comunicação in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 13:45:08]. Disponível na Internet: