Baamas

Geografia
Arquipélago e estado independente constituído, por 700 ilhas e 2000 recifes, situado no oceano Atlântico, a sudeste do estado norte-americano da Florida e a norte de Cuba. Tem uma área de 13 940 km2. As principais cidades são Nassau, a capital (226 100 hab.) (2004), Freeport (50 000 hab.) (2004), Marsh Harbour (7200 hab.) (2004) e Bailey Town (1100 hab.) (2004).

Clima O clima é subtropical e as temperaturas médias variam entre 21 oC, no inverno, e 27 oC, no verão. A maior parte da zona marítima com menos profundidade é formada por recifes de coral.

Economia
As Baamas têm uma economia de mercado extremamente dependente do turismo e dos serviços financeiros internacionais, especialmente dos EUA. Apenas 1% do solo é arável, o que faz com que a agricultura seja um setor pouco importante. A maior parte dos bens alimentares importados vem dos EUA. A indústria extrativa é limitada à produção de sal e de cimento. A Ilha da Grande Baama tem algum petróleo. A indústria centra-se na refinação de petróleo e nas produções de rum e de vários licores, de produtos farmacêuticos e de químicos.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas,1999), é de 6,0.

População
A população é de 303 770 habitantes (est. 2006), o que corresponde a uma densidade de 21,65 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 17,57%o e 9,05%o. A esperança média de vida atinge 65,6 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,812 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,811 (2001). Estima-se que em 2025 a população seja de 326 000 habitantes. Os negros constituem 80% da população, seguindo-se-lhes os mestiços (10%) e os brancos (10%). As religiões maioritárias são a protestante não-anglicana (55%), a anglicana (20%) e a católica (19%). A língua oficial é o inglês.

História
Embora o arquipélago começasse a ser ocupado pelos ingleses em 1647, as Baamas só se tornaram uma colónia britânica em 1783. Durante muito esta tempo esteve sujeita aos sucessivos ataques espanhóis. Os escravos desenvolveram a cultura do algodão, mas com a abolição da escravatura, em 1834, a pobreza instalou-se nas ilhas. Após a Segunda Guerra Mundial, o turismo, devidamente explorado, devolveu a prosperidade ao território. Em 1973, depois de a maioria negra ter formado o Partido Progressivo Liberal (PPL), as Baamas tornaram-se independentes. Atualmente o país vive numa monarquia constitucional em que o primeiro-ministro governa com o Senado e com a Assembleia.
Como referenciar: Baamas in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 05:23:28]. Disponível na Internet: