banda larga

Os consumidores domésticos e empresariais têm aderido às ligações rápidas e com isso obtido melhor qualidade de serviços e de vida.
As tecnologias de Banda Larga, tais como a fibra ótica, estão disponíveis desde os anos 50. Devido a constrangimentos financeiros e regulamentares, estas tecnologias foram sempre relegadas para o uso nos backbones dos sistemas de telecomunicações ou no caso do cabo coaxial para transmissão de serviços de televisão por cabo.
O crescimento da Internet durante os anos 1990 fez aumentar a procura da transmissão de dados em alta velocidade por parte das empresas e clientes residenciais. Em 1998 a indústria do cabo de fibra ótica foi a primeira a avançar e a fornecer serviços interativos, começando pela televisão por cabo e mais tarde voltando as suas atenções para os acessos à Internet através de Banda Larga.

Cabo

A grande popularidade do acesso por cabo de fibra ótica advém da sua grande capacidade. A bidirecionalidade ainda está limitada a determinadas áreas, sobretudo áreas com grande densidade populacional. Nas áreas onde a bidirecionalidade ainda não é uma realidade, o upload é realizado com a utilização de um modem analógico que transmite para uma linha telefónica.
As velocidades de acesso através de cabo dependem do serviço contratado, podendo ir dos 128 Kbps aos 384 Kbps em upload e dos 640 Kbps aos 8 Mbps em download. No entanto as características da fibra ótica permitem ir bem mais longe que os 8 Mbps pelo que se aguardam serviços de maiores velocidades no futuro.

ADSL

O Asimmetric Digital Subscriber Line (ADSL), disponibilizado depois do Cabo, é outra modalidade de Banda Larga em franca expansão.
Esta tecnologia utiliza novas formas de transmitir dados através das linhas telefónicas existentes, o que pode ser considerado uma vantagem do ADSL uma vez que as infraestruturas já estão implantadas.
As taxas de transmissão de dados permitidas pelo ADSL vão desde os 1,5 Mbps até aos impressionantes 24 Mbps em donwload no caso do ADSL2+. A velocidade de upload situa-se entre os 0,5 Mbps aos 3,5 Mbps. Todavia é conveniente distinguir entre a capacidade oferecida pela tecnologia ADSL e a capacidade dos serviços fornecidos pelos ISPs.
A grande dificuldade desta tecnologia consiste em fazer passar sinais de alta frequência através dos cabos de cobre (linhas telefónicas). Quanto mais longe se estiver da central telefónica maior é a degradação do sinal emitido. A solução, apesar de dispendiosa, passa por instalar mais centrais intermédias que reduzem o comprimento dos cabos mantendo um sinal mais estável e aumentando significativamente a velocidade.

Satélite

A transmissão de dados através do espaço oferece uma cobertura planetária sem concorrência, todavia a transmissão via satélite é um sistema de sentido único, isto é, apenas permite download. Para efetuar o retorno, isto é, upload, os utilizadores têm que utilizar a linha telefónica ou o cabo.
A taxa de download por satélite pode atingir os 35 Mbps, sendo que o mais comum é obter taxas de 4 a 6 Mbps por canal que será partilhado entre vários utilizadores.

Wireless (tecnologia sem fios)

Esta tecnologia de transmissão de dados, sem recorrer a qualquer tipo de fio ou cabo, assenta as suas bases nas frequências de rádio. Esta será uma tecnologia ideal para implementar em residências e escritórios.
Com o wireless é possível atingir taxas de 11 Mbps em qualquer divisão da casa sem ter de recorrer a pontos telefónicos ou de cabo.
Esta modalidade de banda larga oferece grande comodidade, sobretudo a quem possui computadores portáteis, uma vez que podem ir para qualquer ponto da casa sem perder o acesso à rede.
Um exemplo da tecnologia wireless é o Universal Mobile Telecommunication System (UMTS), a terceira geração de telefones móveis, que permite velocidades de download muito superiores às dos telemóveis de segunda geração que não vão além dos 9,6 Kbps.

Como referenciar: banda larga in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 17:34:09]. Disponível na Internet: