Batalha


Aspetos Geográficos
O concelho da Batalha, do distrito de Leiria, localiza-se na Região Centro (NUT II) e no Pinhal Litoral (NUT III). Situado na margem do Rio Lena e nas proximidades das serras d'Aire e Candeeiros, é limitado a norte e oeste pelo concelho de Leiria, a sul por Porto de Mós e a este por Ourém, do distrito de Santarém.
No total abrange uma área de 102,8 km2 e é constituído por quatro freguesias: Batalha, Reguengo do Fetal, S. Mamede e Golpilheira. Em 2005, o concelho apresentava 15 391 habitantes.
O natural ou habitante de Batalha denomina-se batalhense.

História e Monumentos
A história da vila está associada à Batalha de Aljubarrota (14 de agosto de 1385) e ao Mosteiro de Sta. M. da Vitória, uma vez que D. João I prometeu construir um mosteiro se conseguissem derrotar o invasor castelhano nessa batalha, que foi essencial para a consolidação da independência de Portugal e para o aparecimento de uma nova dinastia - a Dinastia de Avis.
Do património cultural surgem-nos o Mosteiro de N. Sra. da Vitória (séc. XIV, D. João I), considerado Património da Humanidade pela UNESCO; a estátua Equestre do Condestável D. Nuno Álvares Pereira (1968), em memória da famosa batalha que derrotou o exército invasor; a Torre da Câmara e o pelourinho, com as armas do cardeal D. Henrique; a Igreja de N. Sra. dos Prazeres; a Capela de S. Jorge, com uma escultura em pedra, do século XIV, em que S. Jorge monta o seu cavalo e mata o dragão; o Museu Etnográfico; a Igreja da Misericórdia e a Igreja da Exaltação de Santa Cruz, matriz da Batalha, fundada por D. Manuel, em 1532.
Outros locais de interesse são a Vila da Batalha, com destaque para o casario antigo e a torre da Igreja Matriz, a Capela da Misericórdia (séc. XVIII), a Ponte da Boutaca (de estilo neo-gótico), o planalto de S. Mamede e as Grutas da Moeda.

Tradições, Lendas e Curiosidades
Todos os anos se realizam as seguintes festas: a festa da Santíssima Trindade (oito semanas após o domingo de Páscoa); a festa do Espírito Santo do Reguengo do Fetal (oito dias antes da festa da Trindade); a festa de N. Sra. do Fetal (conhecida pela santa que cura as verrugas), em outubro; e as festas anuais a 14 de agosto, em memória da batalha de Aljubarrota, que se prolongam por mais ou menos quatro dias e têm espetáculos variados, como música, exposições, desfiles, etc. Em junho decorre a Feira Internacional de Artesanato.
O feriado municipal realiza-se a 14 de agosto.
A nível de artesanato sobressaem os trabalhos em vime para cestaria e decoração de interiores, a tecelagem (tapetes, mantas e passadeiras), as bonecas vestidas com trajes regionais, a latoaria e os trabalhos na pedra.

Economia
O principal setor de atividade é o secundário, com destaque para as indústrias de pedra (transformação da pedra em pó), os mármores e as fábricas de louças em porcelana.
No setor terciário, o comércio está relacionado com os vinhos da Cooperativa da Batalha e o turismo com os monumentos, nomeadamente com o mosteiro alusivo à famosa batalha e o recente museu, que atrai muitos visitantes.
A agricultura não tem expressão económica no concelho, sendo apenas de destacar a produção de fruta.
Como referenciar: Batalha in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-07 19:58:32]. Disponível na Internet: