Batalha de Alésia

Situada nas proximidades de Dijon, Alésia, atual Alise, foi palco da batalha que opôs Júlio César ao líder gaulês Vercingetórix no ano de 52 a. C., e que marcou a conquista definitiva da Gália pelos romanos.
Após a vitória no cerco de Gergóvia semanas antes e algumas escaramuças, Vercingetórix rumou para a cidade fortificada de Alésia, onde pretendia retardar os romanos até à chegada de reforços. Desmoralizado com a derrota, e sem outro tipo de alternativas, César é obrigado a investir sobre a cidade. Os gauleses, cerca de 80 000, dispõem-se no interior das muralhas, enquanto os romanos, 70 000, desenvolvem um apertado cerco em torno de todo o espaço. César toma conhecimento que os gauleses aguardam um contingente de reforço de 270 000 homens, pelo que ordena a construção imediata de duas barreiras concêntricas em redor da cidade, integrando diversos tipos de armadilhas e fortificações, numa obra assinalável de engenharia militar, dispondo os efetivos romanos no seu interior. O exército gaulês de socorro desorganizou-se e dispersou-se após quatro batalhas e um longo cerco. Justamente quando os suprimentos romanos chegavam ao fim, Alésia, esfomeada, rendeu-se, tendo Vercingetórix deposto as armas. Foi aprisionado, levado para Roma e exibido no cortejo triunfal de César, acabando por ser morto seis anos depois.
Como referenciar: Batalha de Alésia in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-30 01:17:47]. Disponível na Internet: