Beryl Bainbridge

Escritora inglesa, Beryl Bainbridge nasceu no ano de 1933 na cidade de Liverpool, onde cresceu. O seu pai foi à falência pouco tempo depois de Beryl ter nascido, infortúnio que a sua mãe nunca conseguiu perdoar, sobretudo pela despromoção social.
Devido às dificuldades económicas que daí resultaram, e à deflagração da Segunda Guerra Mundial, em 1939, Beryl Bainbridge teve que ser matriculada numa escola feminina fundada e gerida por uma associação de comerciantes de alfaitaria, em Crosby. Começando as suas aulas em 1942, logo se apaixonou pelos livros e, sobretudo, pela língua inglesa e pelo teatro. Mais tarde viria a confessar que o facto de os pais ligarem o rádio para abafar as suas enormes discussões contribuiu grandemente para a sua fluência linguística, pelo teor cultivado que a programação da BBC tinha nessa altura.
Em 1949 foi expulsa da escola por ter escrito um poema demasiado grosseiro. Não obstante, o pai conseguiu arranjar-lhe uma posição num teatro, o Liverpool Playhouse, onde fez a sua estreia como atriz. Aí conheceu um pintor encarregado de produzir os cenários, com quem casou em 1953, divorciando-se pouco tempo depois de dar à luz o seu segundo filho. Mudou-se então para Camden Town, começando uma relação com o escritor Alan Sharp, de quem teve um filho em 1967.
Em 1972, Sharp apresentou Bainbridge ao diretor de uma editora livreira que, ao ler o seu trabalho, não só se prontificou a publicá-lo, como lhe ofereceu uma posição administrativa no seio da sua empresa. Assim sendo, surgiu o primeiro livro de Beryl Bainbridge, com o título Harriet Said (1972), a que se seguiu The Dressmaker (1973).
Deixando a editora ao fim de algum tempo, começou a trabalhar numa fábrica de garrafas, experiência que lhe forneceu material para a produção do seu romance seguinte, The Bottle Factory Outing (1974), obra vencedora do Prémio Guardian na categoria de Ficção.
Desde então publicou mais de uma vintena de romances, dos quais se destacam Injury Time, obra galardoada com o reputado Prémio Whitbread, Young Adolf (1978), romance histórico em que a autora imagina uma visita de Adolf Hitler a Liverpool, The Birthday Boys (1994) e Master Georgie (1998).
Beryl Bainbridge viu a sua obra recompensada com cinco prémios Booker e, no ano de 2000, foi investida Dame pela Rainha de Inglaterra, título feminino equivalente ao de Sir na Grã-Bretanha.
Como referenciar: Beryl Bainbridge in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-17 22:30:24]. Disponível na Internet: