bioquímica

A bioquímica é a ciência que se dedica ao estudo das reações químicas ocorrentes nos seres vivos, nomeadamente, dos mecanismos de reação entre as várias estruturas moleculares que os compõem, assim como da composição, estrutura e funcionamento destas.
Esta área científica resulta da interpenetração de alguns dos campos de estudo da química e da biologia, constituindo-se como uma ciência independente há apenas algumas décadas, já que, até aqui, era considerada apenas como um ramo da química orgânica ou da fisiologia. Para o seu desenvolvimento como uma área autónoma de estudos, foram fundamentais as descobertas que permitiram a caracterização da vida como o resultado de um conjunto de reações entre compostos moleculares, sendo de destacar a comprovação das bases moleculares dos mecanismos da hereditariedade biológica (genética molecular), a identificação do papel fundamental dos catalisadores biológicos (enzimas) na regulação e funcionamento do metabolismo celular, assim como os estudos acerca do dinamismo dos mecanismos de transferência e armazenamento molecular de energia dentro das células. A bioquímica permitiu (e continua a avançar nesse campo) a racionalização e compreensão dos mecanismos que caracterizam o funcionamento celular e dos diferentes tecidos e órgãos, identificando as moléculas que compõem a célula (as chamadas biomoléculas-glicídos, lípidos, prótidos, ácidos nucleicos e vitaminas), assim como as cadeias de reação entre elas (vias metabólicas), tornando, deste modo, os fenómenos biológicos explicáveis em termos de reatividade química entre moléculas específicas. Estes avanços científicos são importantes já que permitem que alguns desses fenómenos biológicos sejam simuláveis em laboratório, o que traz inúmeras vantagens como, por exemplo, o desenvolvimento e estudo da ação de alguns tipos de medicamentos, antes de estes serem aplicados diretamente nos organismos vivos.
A bioquímica funciona, sobretudo, como uma ciência de base, fornecendo dados para inúmeras outras áreas científicas, como a biologia celular, química orgânica, fisiologia, imunologia, genética, oncologia, química alimentar, etc.. O seu campo de estudo é extremamente vasto, englobando os fenómenos de diferenciação celular, respiração, fermentação, fotossíntese, doenças metabólicas, nutrição, origem da vida, evolução, síntese proteica, produção de hormonas, entre outros, promovendo sempre a caracterização e compreensão das bases atómicas e moleculares da vida, de modo a tornar possível não apenas o seu conhecimento, mas, também, a permitir, usando esses conhecimentos, a manipulação dos sistemas vivos para o alcance de determinados objetivos com interesse para o homem, como o tratamento de anomalias genéticas, doenças metabólicas, desenvolvimento de medicamentos, produção de organismos transgénicos, desenvolvimento de produtos alimentares e de suplementos nutritivos para animais e plantas, ajustamento de solos agrícolas de acordo com as necessidades específicas de culturas, armas biológicas, clonagem, entre muitas outras infindáveis aplicações dos conhecimentos resultantes da investigação bioquímica.
Esta ciência tem evoluído muito rapidamente nos últimos anos, sobretudo devido a grandes progressos dentro do campo das técnicas e da instrumentação científica, permitindo assim, cada vez mais, uma mais ampla caracterização dos fenómenos químicos que suportam a vida.
Como referenciar: bioquímica in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-10 10:28:19]. Disponível na Internet: