Bissau


Aspetos Geográficos
Cidade e capital da Guiné-Bissau, Bissau situa-se no estuário do rio Geba, na costa atlântica, praticamente equidistante das fronteiras norte e sul do país. Única cidade do país, é também a capital do setor autónomo de Bissau, possuindo uma área de 77 km2 e uma população de cerca de 322 000 habitantes (2005).

História e Monumentos Bissau foi fundada em 1687 pelos portugueses, que fizeram dela um porto fortificado e um centro de comércio. Em 1942 tornou-se capital da Guiné Portuguesa, tendo sido substituída temporariamente em 1973-1974 por Madina do Boé por ordem do PAIGC (Partido Africano pela Independência da Guiné e Cabo Verde) quando este se encontrava em guerra com Portugal. Entre os seus monumentos, destacam-se a Fortaleza d'Amura, que contém o mausoléu de Amílcar Cabral (líder nacionalista que fundou o PAIGC), o Memorial Pidjiguiti (dedicado aos pescadores mortos na greve das docas da Guiné-Bissau, em 3 de agosto de 1959) e o Instituto Nacional de Artes da Guiné-Bissau.

Aspetos Turísticos e Curiosidades
A cidade é conhecida pelo seu Carnaval anual, imensamente colorido. À semelhança do Carnaval do Rio de Janeiro, salvaguardadas as enormes diferenças de escala, cada comunidade e cada bairro da cidade prepara-se para este com meses de antecedência, sendo o evento do ano. Para além dos monumentos já citados, o turista tem ao seu dispor várias praias de grande beleza, o novo estádio e o Palácio Presidencial e o Centro de Cultura Francesa, estes dois últimos parcialmente destruídos pelos confrontos armados ocorridos entre 1998 e 2000. A cidade colonial não se alarga mais do que 500 metros à volta da Praça dos Heróis Nacionais, sendo suficiente uma hora para ficar a conhecer a pé o conjunto das ruas da "velha Bissau". A maior parte dos ministérios, o Hospital Simão Mendes, o Palácio da Justiça, os bancos, o estádio nacional, a central elétrica, a Fortaleza d'Amura, o cemitério e o polo universitário encontram-se nesta área da cidade. Poucos veículos circulam e mesmo o trânsito de peões está longe da efervescência de outras capitais africanas. As cores rosa, amarelo e pastel dominam os belos edifícios de arquitetura colonial. Destacam-se ainda os azulejos (arte portuguesa) que ornamentam algumas das casas. Bissau não possui nenhum parque municipal, embora se encontre cada vez mais verde, fruto do trabalho dos seus habitantes no embelezamento dos seus jardins e estradas. Os mercados são os locais mais movimentados da cidade.


Economia
Sendo o maior porto, assim como o centro administrativo e militar da região, Bissau produz amendoim, madeira, coco, óleo de palmeira e borracha. É uma capital ainda bastante pobre, existindo locais sem água canalizada nem eletricidade. Muitas infraestruturas locais denotam a ajuda externa recebida, nomeadamente de Cuba, da ex-União Soviética ou da China. Bissau é servida pelo Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira.
Como referenciar: Bissau in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 06:38:29]. Disponível na Internet: