Brassaï

Fotógrafo francês, Gyula Halász é o seu nome de batismo, de origem romena, nascido em 1899 em Braso, Roménia, e falecido em 1984, em Nice, França.
Estudou arte em Budapeste e Berlim (1920-1923) e mais tarde frequentou círculos que incluíam artistas plásticos como Kandinsky, Kokoschka e Moholy-Nagy.
Em 1924 foi trabalhar para Paris como jornalista desportivo. Conheceu Eugene Atget, que influenciaria a parte final da obra de Brassaï. Dois anos mais tarde, conheceu o seu compatriota André Kertész. As primeira fotografias de Brassaï foram tiradas com uma máquina emprestada e, pouco depois, o fotógrafo adquiriu a sua famosa Voightlander, a câmara fotográfica que o acompanharia por muitos anos.
Da sua vivência noturna resultou o livro Paris de Nuit, onde registou, para além da cidade deserta, o seu fascínio pela sociedade que frequentava os bares e as ruas parisienses.
Em 1932 Brassaï fotografou os grafitti nas paredes de Paris, um trabalho fortemente divulgado na revista surrealista Minotaure.
Os seus ensaios sobre personagens e artistas enriqueceram a revista Harper´s Bazaar onde começou a trabalhar em 1937. Outro aspeto relevante da vida do fotógrafo foi a sua amizade com o pintor Pablo Picasso, da qual resultou o livro Conversations avec Picaso (1965).
Após a morte de Carmel Snow, editor da revista Harper's Bazaar, em 1962, Brassaï abandona a fotografia para se dedicar à impressão e edição do seu trabalho.
Como referenciar: Brassaï in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 21:25:36]. Disponível na Internet: