brinquedo

Os brinquedos são objetos usados pelas crianças tanto como forma de entretenimento como para fins educativos.
Foi só a partir do século XIX que a palavra brinquedo passou a designar os objetos usados pelas crianças nas suas atividades de diversão. Até aí, brinquedo era qualquer pequeno objeto que servisse para entreter crianças e adultos. É difícil definir uma data precisa para assinalar o aparecimento dos brinquedos, mas há vestígios de objetos com essas características em locais como o Mediterrâneo e o Próximo Oriente datados de há cerca de três mil anos. Nesses sítios, foram descobertos modelos de animais, alguns dos quais com membros articulados, embora não se saiba com exatidão qual a sua função. Vestígios do Egito e da Roma antigos indicam que nas sepulturas de crianças havia bonecas de madeira com imitações de cabelo. Berlindes e dados foram também encontrados em locais que pertenceram às antigas civilizações romanas, gregas e egípcias. Apesar de haver poucos vestígios, na Idade Média as crianças também tinham brinquedos, alguns dos quais já eram feitos em metal por artesãos, nomeadamente reproduções de soldados. Também havia pequenos moinhos de vento e cavalos. As próprias crianças produziam os seus brinquedos, com particular destaque para as bonecas de trapos. Por volta do século XVI, na Alemanha, já havia comércio de brinquedos, feitos por artesãos que trabalhavam em madeira, uma tradição que se estendeu à Áustria, no século XVII, e à Itália, no século XVIII. A massa de papel foi outro material muito usado na época. Até ao século XX, estas áreas geográficas dominaram o mercado do comércio de brinquedos a nível mundial, tendo a cidade alemã de Nuremberga como ponto de exportação para a Europa. Na altura já havia reproduções de cavalariças, cozinhas, quintas, quartéis, pessoas e animais, assim como miniaturas de instrumentos musicais e de armas. Ainda nessa época, começaram a surgir em Inglaterra e França as primeiras lojas de brinquedos. A pensar nas crianças, foram lançados os primeiros jogos de dados, que tinham por base a realização de corridas entre peões. Entretanto, a partir do século XIX, as bonecas de madeira começaram a ser substituídas por outras em tecido, mais práticas para usar, algumas das quais tinham a cabeça e os membros feitos em louça. Em 1820, surgiu a primeira boneca que fala, mas este tipo de brinquedo só se desenvolveu a partir de 1887, com a intervenção do inventor Thomas Edison. Estas bonecas representavam essencialmente adultos, mas, a partir de 1870, passaram a ser comuns os bonecos a imitar bebés. Estes brinquedos eram essencialmente para raparigas, já que os rapazes preferiam reproduções de animais ou de meios de transporte. Outro tipo de brinquedo bastante popular na época era o caleidoscópio ou objetos do género que incidiam nos efeitos óticos. No século XX, surgiram os brinquedos com rodas, os de construção, uma inovação da Meccano introduzida em 1901, e os de peluche, estes em forma de urso, coelhos, leões e muitos outros animais. A partir da década de 20, começaram a surgir as bicicletas, carros e motos de pedais, enquanto a novidade dos anos 30 foram os comboios elétricos. Seguiram-se as miniaturas de carros e aviões. Depois da Segunda Guerra Mundial, começaram a ser lançados muitos brinquedos em plástico, assim como pequenas imitações de carros. Em 1959, surgiu nos Estados Unidos da América a boneca Barbie, dando seguimento a uma tendência, que havia surgido ainda antes da Segunda Guerra Mundial, de serem criados personagens apenas com o objetivo de darem vida a brinquedos. Outros haviam surgido no seguimento de desenhos animados, como foi o caso de Mickey. Já perto de finais do século XX, a eletrónica ajudou a criar um novo conceito de brinquedos, como carros e aviões telecomandados, a que se seguiu a era dos jogos de computador.
Como referenciar: brinquedo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-16 22:33:12]. Disponível na Internet: