caiaque esquimó

Utilizado na pesca e na caça, sobretudo de focas ou aves marinhas, ou como simples transporte, o caiaque, ou kayak, é a embarcação artesanal, por excelência, dos esquimós, também chamados de Inuit. Esta pequena embarcação leve e rápida, com a parte da frente em bico, é construída a partir da carcaça ou "esqueleto" de madeira, ou osso de rena, revestido de peles de foca, cozidas e esticadas, utilizando alguns dos poucos materiais que o esquimó consegue aproveitar de uma natureza pouco generosa, onde os recursos são muito escassos. A madeira da carcaça é aproveitada dos ramos de bétula e as peles de foca passam por um processo de preparação e curtimenta, antes de serem impregnadas de gordura animal para melhor impermeabilização. A existência de uma "saia", também em pele de foca, ajustada à cintura permite que o caiaque se vire ao contrário sem se afundar, criando um equilíbrio especialmente útil na caça e na pesca. No ambiente vasto e inóspito das terras do Alasca, Gronelândia ou Labrador, o caiaque é sobretudo utilizado na pesca e na caça, já que para o transporte de carga os esquimós preferem utilizar o umiaque, embarcação maior e mais pesada. Embora mais frágil, o caiaque é quase impossível de afundar, sobretudo quando hermeticamente ajustado à cintura do remador.
Este modelo de embarcação foi introduzido pela primeira vez na Europa pelo escocês John MacGregor, por volta de 1891. A partir de então foi adaptado para a competição desportiva ou para mero lazer, feito de borracha sintética, fibra de vidro ou tela impermeabilizada, permitindo as descidas arriscadas e acidentadas dos rápidos e das pequenas cascatas dos rios, sendo também propício à navegação em correntes impetuosas. Em 1924 foi criada a Internationale Repräsentantshaft für Kanusport, que em 1946 passou a Federação Internacional de Canoagem. Em termos de competição existem as categorias K1 (5,20 metros), K2 (6,50 metros), K4 (11 metros) e o caiaque de mar com 5 metros.
Como referenciar: caiaque esquimó in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-19 21:45:26]. Disponível na Internet: