Camões, Os Lusíadas e a Renascença em Portugal

Obra que surge como a refundição do ensaio de 1872 Os Lusíadas - Ensaio sobre Camões e a sua Obra. No prólogo, Oliveira Martins descreve a gestação do livro, marcada pelo exílio e pela saudade da pátria, e alude ao ambiente que cerca a sua reedição em 1891, indissociável da crise social e moral provocada pelo Ultimato inglês do ano anterior, no qual a evocação da figura de Camões e da epopeia Os Lusíadas como voz da alma do povo português visaria funcionar como catalisador. O autor estuda a biografia de Camões, as características do género épico e o contexto quinhentista da Renascença portuguesa e dos Descobrimentos.
Como referenciar: Camões, Os Lusíadas e a Renascença em Portugal in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-20 04:05:38]. Disponível na Internet: