carcinoma

Carcinoma ou epitelioma são designação sinónimas para os tipos de cancro que afetam as células epiteliais, isto é, as que recobrem a superfície externa do corpo e que constituem a camada superficial interna de diversas cavidades corporais e de estruturas anatómicas que contactam com o meio externo, como o tubo digestivo, por exemplo.
Como os outros tipos de cancro, caracteriza-se pelo surgimento e proliferação de células anormais, que invadem os tecidos vizinhos, podendo formar tumores secundários, por disseminação através da corrente sanguínea, as metástases.
Existem diversos tipos de carcinomas, distinguíveis entre si pela zona afetada. O cancro de pele ou carcinoma epidermoide, que na maioria dos casos (75%) é de evolução localizada apenas na pele, não formando metástases. A exposição excessiva ao sol, nomeadamente às radiações ultravioletas, é responsável por mais de 90% dos casos. Surge inicialmente por uma alteração cutânea, como um sinal de aspeto estranho, uma verruga ou mancha, que pode ulcerar e não cicatrizar. O diagnóstico precoce é muito importante, já que, através da extração da zona afetada, garante-se uma elevada percentagem de sucesso na remissão da alteração cancerosa.
O carcinoma das células renais afeta sobretudo o sexo masculino, após os 55 anos. Atinge as células do revestimento dos túbulos renais, formando metástases rapidamente. Embora de origem desconhecida, certos fatores podem aumentar as probabilidades de ocorrência, como antecedentes hereditários e problemas renais que obriguem a realização regular de diálise. Outros tipos de carcinomas que afetam o aparelho urinário é o carcinoma do uréter e o da pélvis renal.
O carcinoma adrenal afeta principalmente crianças, atingindo as glândulas adrenais.
A tiroide pode também ser afetada por este tipo de cancros. O carcinoma anaplástico da tiroide afeta sobretudo idosos, sendo de evolução muito rápida e agressiva. Representa apenas 1% dos cancros tiroidianos. Outros tipos são ainda o carcinoma medular da tiroide e o carcinoma papilar, sendo que ambos apresentam, como fator de risco comum para a sua origem, antecedentes de radioterapia.
O fígado e o pâncreas, glândulas anexas do tubo digestivo, podem também ser afetados, respetivamente, pelo carcinoma hepatocelular e carcinoma pancreático.
O carcinoma hepatocelular representa mais de 80% dos cancros que afetam o fígado.
O carcinoma do pâncreas é um dos tipos de cancro que mais mortes originam, incidindo particularmente nos homens idosos, fumadores e com uma alimentação rica em gorduras.
Na zona superior do corpo, ao nível da cabeça, pode surgir o carcinoma do seio frontal da face e o carcinoma posterior da língua, entre outros.
O carcinoma broncopulmonar ou cancro do pulmão afeta sobretudo homens, sendo de crescimento lento. No entanto, é muito importante o diagnóstico precoce, já que os pulmões são um órgão extremamente vascularizado, logo, o risco de ocorrer disseminação de metástases é elevado. O tabaquismo caracteriza-se como o principal agente etiológico.

Como referenciar: Porto Editora – carcinoma na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-19 20:53:44]. Disponível em