carência afetiva

Designa-se por carência afetiva uma falta ou insuficiência de afeto e de atenção que são essenciais e indispensáveis à manutenção da vida. Estes afetos são normalmente fornecidos pelas figuras parentais nos primeiros anos de vida da criança e mais tarde podem ser substituídos por outros objetos amados.
Os cuidados maternos são reconhecidos como sendo essenciais para uma criança. Diversos estudos demonstraram que a separação mãe/bebé traz consequências desastrosas ao desenvolvimento normal de uma criança.
Bowlby em algumas pesquisas enfatizou o aspeto de que o bebé necessita mais de amor do que da presença física da mãe biológica, o que influenciou a diferenciação progressiva entre carência afetiva e carência materna. Mas obviamente que na maior parte dos casos estas duas noções estão unidas. Assim, carência afetiva abrange toda a carência materna e paterna em que haja ausência total de relacionamento ou em que esse relacionamento seja esporádico e provisório ou ainda em casos em que haja presença física assegurada continuamente por parte dos pais, mas existam atitudes de rejeição ou de hostilidade em relação ao bebé ou criança.
Os efeitos de carência afetiva são graves e dependem da sua precocidade e duração.

Como referenciar: carência afetiva in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-18 22:55:07]. Disponível na Internet: