Carl Menger

Economista, Carl Menger nasceu em 1840, em Galicia, que fazia na altura, parte do Império Austro-Húngaro (atual Sul da Polónia), no seio de uma família próspera e com vários elementos (seus irmãos) reconhecidos publicamente em várias áreas. Do seu currículo académico faz parte fundamentalmente o estudo de Direito, área em que se doutorou na Universidade de Cracóvia. Foi, no entanto, na área da economia que viria a ter o maior reconhecimento, na sequência da obra Principles of Economics, publicada em 1871. O seu percurso profissional engloba as atividades de leitor e professor na Universidade de Viena, bem como de tutor do príncipe Rodolfo da Áustria, com quem percorreu vários países da Europa, como a Alemanha, a França, a Suíça e a Inglaterra.
Carl Menger foi, juntamente com William Stanley Jevons e Leon Walras, dos primeiros autores a salientar a importância do conceito de utilidade, e designadamente do de utilidade marginal, facto pelo qual é considerado um dos fundadores da corrente marginalista de pensamento económico. Com efeito, para Menger o valor das coisas não estava no trabalho necessário para as produzir, mas na utilidade que os indivíduos delas poderiam retirar no sentido de satisfazer as suas necessidades. Mais concretamente, os bens seriam valiosos pelo facto de satisfazerem várias necessidades relativamente aos quais os indivíduos atribuiriam diferentes graus de importância. Neste contexto, o valor do trabalho e dos restantes inputs de produção é que seria determinado pelo valor dos bens, este, por sua vez, determinado a partir da sua utilidade.
Com base neste raciocínio, Menger chegou a outra conclusão importante: a troca é um jogo de soma positiva, ou seja, todas as partes envolvidas ganham com esse processo. De facto, para Menger, as pessoas trocam coisas a que dão menos valor por outras a que dão mais valor, de acordo com a utilidade na satisfação de necessidades que delas vão retirar.
Um outro contributo de Menger para o pensamento económico foi a explicação da forma como o dinheiro potencia desenvolvimento. Essa conclusão deriva do facto de a existência de um meio de troca amplamente aceite evitar a necessidade de trocas intermédias até se atingir o desejado e, por consequência, minimizar os obstáculos que eventualmente possam surgir. O aparecimento do dinheiro foi assim um processo "orgânico", sem a influência dos estados, tal como aliás a própria língua.
Menger deu origem à chamada Escola Austríaca de pensamento económico, que muito beneficiou também dos contributos dos seus seguidores, designadamente Friedrich von Wieser e Eugen von Böhm-Bawerk, que consolidaram e alargaram muitos dos seus estudos.
Faleceu em 1921.
Como referenciar: Porto Editora – Carl Menger na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-19 05:04:20]. Disponível em