Carlos Castañeda

Antropólogo e escritor norte-americano, Carlos César Araña Castañeda nasceu no dia 25 de dezembro de 1925, em Cajamarca, no Perú. Embora o autor tenha afirmado que nasceu em São Paulo, no Brasil, no seio de uma família abastada de origem italiana, dez anos antes, registos de imigração publicados pela revista norte-americana Time contradizem as suas pretensões.
Não obstante, perduram duas versões quanto ao seu percurso de vida. Enquanto que algumas fontes indicam que em 1948 acompanhou a família na sua mudança para Lima, dando ingresso no Colegio Nacional de Nuestra Señora de Guadalupe e estudando depois Pintura e Escultura na Escola Nacional de Belas Artes, outras dizem ter sido criado pelos avós no interior do Brasil, levado para um colégio interno em Buenos Aires, entrando nos Estados Unidos da América aos quinze anos de idade.
De 1955 a 1959, estudou Parapsicologia na City College de Los Angeles, passando depois à Universidade da Califórnia como estudante de Antropologia e tomando a cidadania norte-americana. No verão de 1960 terá conhecido um tal Don Juan Matus, um velho índio pertencente à tribo yaqui, numa estação de camionagem em Nogales, no estado do Arizona. Começando a uma longa amizade, Castañeda veio a descobrir que Don Juan era um feiticeiro, um diablero, pelo que decidiu tornar-se seu discípulo. No curso da sua iniciação, foi-lhe apresentado Don Genaro Flores, um índio mazateca que teria participado no seu processo de aprendizagem. A aprendizagem dependeu particularmente da utilização de alucinogéneos, tais como o cato peyotl e cogumelos psilocibos, como meios para despertar a consciência e alargar a perceção. Temendo um esgotamento nervoso, Castañeda decidiu parar com as experiências em 1965.
Em 1968 publicou The Teachings of Don Juan: a Yaqui Way of Knowledge (Os Ensinamentos de Don Juan), um relato das suas vivências junto dos índios mexicanos. A obra foi apresentada como tese de licenciatura e aceite pela Universidade da Califórnia, que a publicou pela primeira vez, detendo sobre ela os direitos de autor.
Nesse mesmo ano, regressou ao México, dando início a uma segunda fase de aprendizagem que durou até 1971, e da qual resultaria A Separate Reality: Further Conversations With Don Juan (1971). Seguiu-se, em 1972, Journey To Ixtlan: The Lessons of Don Juan, que seria aceite pela sua universidade como tese de doutoramento.
Não obstante o facto de ter visto a sua obra reconhecida a nível académico, têm sido levantadas dúvidas quanto à credibilidade científica de Castañeda, quer pelo facto de nunca ninguém ter visto Don Juan, quer pela ausência de expressões do idioma yaqui. Castañeda publicou onze livros, todos eles dedicados ao onirismo xamânico, que marcaram fortemente a direção do movimento New Age.
Faleceu, vítima de uma cirrose, a 27 de abril de 1998.
Como referenciar: Carlos Castañeda in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-04-08 08:30:45]. Disponível na Internet: