Carlos Sainz

Piloto espanhol nascido a 12 de abril de 1962, em Madrid. Desde pequeno mostrou apetência para o desporto tendo praticado futebol, golfe, ténis, motocross, esqui e squash. Nesta última modalidade foi campeão de Espanha, em 1979, e vice-campeão, nos dois anos seguintes.
Sainz ainda chegou a frequentar o curso de Direito na Universidade para fazer a vontade ao pai, mas abandonou os estudos no segundo ano pois optou pelo automobilismo. Apesar de ter começado pelas corridas de pista, foi nos ralis que fez carreira. Em 1980, Sainz entrou pela primeira vez num rali, tendo participado numa prova em Madrid ao volante de um Renault 5TS. O piloto foi somando êxitos, até que em 1985 se sagrou vice-campeão de Espanha de ralis, feito que repetiu no ano seguinte, em ambos casos ao volante de carros da marca Renault. Em 1987 optou pela Ford e foi campeão de Espanha. Nesse mesmo ano, entrou pela primeira vez em provas do mundial, tendo feito três ralis. Em 1988 voltou a ser campeão de Espanha e disputou cinco ralis do Mundial com um Ford Sierra. Carlos Sainz deu nas vistas em vários ralis, nomeadamente no de Portugal, e acabou por ser contratado pela equipa oficial da Toyota para a temporada de 1989. A ligação à marca nipónica foi muito bem sucedida já que Carlos Sainz acabou por se sagrar campeão do mundo em 1990, com um Celica GT4, e em 1992, com um Celica 4WD. Em 1990 ainda foi o vencedor do Campeonato Ásia-Pacífico. Nesse ano, triunfou nos ralis da Acrópole (Grécia), Nova Zelândia, Mil lagos (Finlândia) e RAC (Inglaterra). Em 1991, apesar de ter ganho cinco ralis (Monte Carlo, Portugal, Córsega, Nova Zelândia e Argentina), não revalidou o título, que só reconquistou em 1992, graças a triunfos no Safari, Nova Zelândia, Catalunha e RAC. No entanto, 1993 foi um ano negro, já que não obteve qualquer triunfo a partir do momento em que se mudou para a equipa Lancia. Em 1994, voltou a trocar de formação e optou pela Subaru e com um Impreza ganhou o Rali da Acrópole. Uma série de outros bons resultados permitiram-lhe ser vice-campeão do mundo, feito que repetiu em 1995, de novo ao volante de um Impreza. No mesmo ano, ganhou três provas: Monte Carlo, Portugal e Catalunha.
Em 1996, regressou à Ford e com um Escort Cosworth venceu dois anos seguidos na Indonésia e ainda no Acrópole em 1997.
O regresso à Toyota aconteceu em 1998 para correr com um Corolla que o levou a triunfos em Monte Carlo e Nova Zelândia, alcançando de novo o vice-campeonato. Após um ano sem triunfos (1999), em 2000, Sainz regressou à Ford e ao volante de um Focus voltou a vencer provas, tendo ganho o Rali do Chipre. Em 2001 voltou a passar um período negro sem vitórias, agravado por um acidente no Rali RAC (Inglaterra) onde atropelou dez pessoas. Após mais um ano sem grandes sucessos na Ford, optou por uma nova equipa, a Citroën, que com um Xsara lhe proporcionou o regresso aos triunfos no Rali da Turquia.
Como referenciar: Carlos Sainz in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-19 00:38:59]. Disponível na Internet: