Carregal do Sal

Aspetos Geográficos
O concelho de Carregal do Sal, do distrito de Viseu, localiza-se na Região Centro (NUT II) e em Dão-Lafões (NUT III). Ocupa uma área de 116,9 km2 e abrange sete freguesias: Beijos, Cabanas de Viriato, Currelos, Oliveira do Conde, Papizios, Parada e Sobral.
Este concelho apresentava, em 2005, um total de 10 490 habitantes.
O natural ou habitante de Carregal do Sal denomina-se carregalense.
O concelho encontra-se limitado a norte pelo concelho de Viseu, a noroeste pelo de Tondela, a oeste pelo de Santa Comba Dão, a este pelo de Nelas e Oliveira do Hospital (distrito de Coimbra) e a sul pelo de Tábua (distrito de Coimbra).
Possui um clima mediterrânico com feição continental, apresentando invernos frios e verões quentes e secos.
A sua morfologia é relativamente suave, destacando-se somente a Senhora dos Milagres, com 351 metros de altitude.
Como recursos hídricos, existem o rio Dão, o rio Mondego e as ribeiras de Cabanas e de Beijos.
História e Monumentos
Currelos era o nome do primitivo concelho, do qual foram donatários os Condes de Vila Nova de Portimão, passando mais tarde a denominar-se Carregal do Sal.
Este primitivo núcleo terá tido a sua origem aquando do domínio romano.
No século XV, D. João I doou estas terras a Fernão Gomes de Góis, camareiro-mor, o senhorio de Oliveira do Conde - por serviços prestados à coroa. O cavaleiro tem o túmulo na igreja da freguesia, sendo este considerado um dos mais notáveis monumentos funerários do país pelos motivos escultóricos que o adornam, constituindo o ex libris do concelho.
A reforma de 1836 chamou-lhe somente Carregal, com sede no lugar e freguesia de Currelos, onde se mantém.
Em Cabanas de Viriato subsistem ruínas de velhas casas solarengas e uma delas terá sido muito provavelmente o berço de Viriato.
A nível do património arquitetónico, destacam-se o Solar da Cobertinha, o Pelourinho do Casal da Torre, a Casa da Fidalga ou Solar de Alvarelhos, revestido de heras verdes, com portão brasonado e arruamentos ajardinados, que data do século XVIII, e a Igreja Matriz de Oliveira do Conde, já existente no século XII, que possui abside gótica e abóbada artesoada, e onde se encontra o referido túmulo de Fernão Gomes de Góis.
Tradições, Lendas e Curiosidades
Das manifestações populares e culturais do concelho são de destacar a festa dos Bombeiros Voluntários, que decorre entre 15 e 18 de julho, a festa de Nossa Senhora das Febres e a festa de S. Pedro, realizada em junho.
No artesanato, a referência vai para os trabalhos de tapeçaria (tipo Arraiolos) e de ferraria, nomeadamente os trabalhos em ferro forjado.
Como instalação cultural, de destacar o Centro Cultural de Currelos.
Como curiosidade, pode referir-se a controversa origem do topónimo deste concelho, dado que supostamente parece ter derivado da existência de armazéns de sal (desaparecidos) no local designado por Salinas, entreposto abastecedor da vasta região entre o Douro e a serra da Estrela até às terras de Castela, atravessando a fronteira de Vilar Formoso.
Economia
No concelho predominam as atividades ligadas ao setor terciário, seguidas pelas do secundário, tendo o setor primário um peso relativamente baixo.
No que se refere à agricultura, destacam-se os cultivos de cereais para grão, leguminosas secas para grão, prados temporários e culturas forrageiras, batata, olival e vinha. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente a criação de ovinos, coelhos e aves. Cerca de 26% (1554 ha) do seu território são cobertos de floresta.
Como referenciar: Porto Editora – Carregal do Sal na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-17 03:52:43]. Disponível em