Cartas Espirituais

As Cartas, apesar do tom íntimo e conceptista, manifestam um grande artificialismo gongórico, sobretudo quanto à construção rítmica da frase, quanto às longas correspondências formais e quanto às imagens. Destinam-se a obter resultados práticos e tangíveis de conversão; procuram empenhar os destinatários na sua fé através de numerosas jaculatórias ou fórmulas de atos de aspiração, de suspiro, de amor, de fé, etc., com indicação do número de vezes que devem ser repetidas.
Estes textos traduzem um espírito exaltado e intransigente, inteiramente possuído pela sua obsessão e revelam uma curiosidade intelectual que é vista como uma forma de concupiscência. Todavia, revelam também um bom-senso e um equilíbrio admiráveis.Esta obra vale sobretudo pela valentia e pitoresco do estilo em que está escrita, pois o coração do frade é-nos aí muitas vezes revelado, na demanda dos fundos da alma, onde Deus se manifesta.
Como referenciar: Cartas Espirituais in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-21 19:34:25]. Disponível na Internet: