Castro da Cola

São extensos em área e no tempo, os vestígios arqueológicos conhecidos por Castro da Cola, no concelho de Ourique.
A elevação sobre o rio Mira parece, pois, ter sido o local favorito para viver mas também para morrer de muitos povos que se dedicavam essencialmente à agricultura, à pastorícia e ainda aos amplos recursos mineiros da região. Detetaram-se cerca de 30 estações arqueológicas nesta área distribuídas por povoados (Neolítico, Calcolítico, Idade do Ferro e período Medieval) e necrópoles (monumentos funerários Calcolíticos, da Idade do Bronze, Idade do Ferro e Romanos).
A quantidade de vestígios bem como a sua monumentalidade, nomeadamente a fortificação islâmica e medieval, chamou a atenção de vários investigadores, pelo menos desde o século XVI. Mas tivemos de esperar por meados do século XX para ver uma equipe de arqueólogos, dentre os quais destacamos Abel Viana e Caetano de Mello Beirão, a trabalhar sistematicamente este morro.
Merece especial destaque a fortificação monumental que remonta senão ao período islâmico de certeza ao período imediatamente posterior à Reconquista. Trata-se de um complexo sistema defensivo constituído por uma grande muralha, com cerca de 330 metros de perímetro, que delimita uma zona de habitat (casas de habitação), silos e uma cisterna abobadada.
Como referenciar: Castro da Cola in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 19:27:26]. Disponível na Internet: