catarata (medicina)

A catarata é uma patologia ocular que afeta o cristalino, órgão que atua como uma lente natural, provocando alterações na sua estrutura que originam uma opacidade progressiva.
As principais consequências do surgimento de uma catarata são a progressiva perda da acuidade visual, que se torna enevoada, até uma altura em que apenas se distinguem zonas claras e escuras. Os sintomas iniciam-se por uma diminuição da capacidade visual, a necessidade de mais luz para uma visão normal e objetos com contornos esbatidos e amarelados. Podem também surgir halos em torno das luzes à noite, visão dupla ou com áreas ensombradas e aumento da miopia.
Existem diversos tipos de cataratas, classificadas quanto à sua origem: cataratas traumáticas, senis, congénitas, complicadas, secundárias a medicamentos e resultantes de problemas metabólicos. As cataratas traumáticas devem-se a lesões por acidente num dos olhos, como choques fortes, por exemplo.
Em idosos, surgem frequentemente as cataratas senis, resultantes de alterações metabólicas e degenerescência, em resultado da idade.
As cataratas congénitas resultam de fatores hereditários, embriopatias secundárias ou de infeções intrauterinas, surgindo em indivíduos muito jovens.
As cataratas complicadas surgem como complicação secundária de doenças gerais ou outras patologias oculares. Alguns autores englobam as cataratas resultantes de problemas metabólicos nesta categoria, como, por exemplo, é o caso de cataratas em diabéticos.
As cataratas secundárias a medicamentos surgem em consequência de suscetibilidade ao uso prolongado de determinados medicamentos, como, por exemplo, corticoides.
O único tratamento existente para a catarata, atualmente, é a remoção cirúrgica do cristalino e a sua substituição por uma lente artificial, retomando os pacientes as suas normais capacidades visuais. As duas principais técnicas cirúrgicas são a extração extracapsular e a facoemulsificação.
Na extração extracapsular, o cirurgião faz uma incisão de cerca de 10 mm no limbo corniano, de forma a afastar a cápsula anterior e a remover o cristalino, substituindo-o pela lente artificial. No caso da facoemulsificação, processo mais recente, a incisão é de apenas 3 mm, sendo a catarata destruída e aspirada por meio de ultrassons.
A cirurgia é um processo com elevada percentagem de sucesso, devido aos elevados progressos tecnológicos e técnicos verificados nesta área.
As cataratas são uma patologia de ocorrência a nível mundial, sendo ainda uma das principais causas de cegueira tratável.

Como referenciar: catarata (medicina) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 23:25:28]. Disponível na Internet: