Catarina de Médicis

Filha de Lourenço II de Médicis, duque de Urbino e de Madeleine de La Tour d'Auvergne, nasceu em Florença em 1519. Casou aos 14 anos (1533) com o duque de Orléans, posteriormente rei de França sob o nome de Henrique II (1547).
Durante o reinado de seu marido foi uma figura de segundo plano em favor de Diane de Poitiers, sua rival. Tornou-se regente do reino após a morte de Henrique II.
O seu governo teve início em 1559 numa Europa marcada pelas crises religiosas. Embora sem qualquer espécie de fanatismo, a ela se deve a tentativa de reaproximação de católicos e protestantes (1561), o acordo com os calvinistas num édito de tolerância (1562) e a promoção da paz de Amboise (1563), que concedeu aos protestantes a liberdade de consciência e o regulamento do seu culto.
Preparou em 1570 a paz de Saint-Germain com os protestantes e o casamento de Henrique de Bourbon com Margarida de Valois, numa tentativa de entendimento entre católicos e protestantes.
A sua influência política diminuiu com a subida ao trono de Henrique III mas, mesmo assim, continuou a sua política de reconciliação e pacificação com a assinatura do Tratado de Etigny, em 1576, que concedia aos protestantes grandes vantagens.
Implantou em França o gosto pelo luxo e pelas artes numa atitude de verdadeira princesa do Renascimento. Dirigiu a construção do novo Louvre que suplantaria o palácio das Tulherias. Salientou-se pela pureza dos seus costumes e pela fidelidade a todos os seus deveres.
Faleceu em 1589.
Como referenciar: Porto Editora – Catarina de Médicis na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-27 21:51:24]. Disponível em