catarse

Método utilizado para alcançar a ab-reação de um afeto, ou seja, a descarga emocional de um afeto sentido no passado, mas que no seu devido tempo não teve a reação necessária para o sujeito se libertar do conteúdo afetivo, que perdura assim no inconsciente.
A catarse visa eliminar perturbações psíquicas, tensões e angústias, através da provocação de uma explosão emocional, baseando-se na rememorização de factos passados que estejam ligados àquelas perturbações. De acordo com Aristóteles, a palavra catarsis significa "limpeza da alma".
Este termo foi introduzido por Breuer para descrever a descarga emocional que se verifica no decurso de um tratamento por hipnose. O método catártico foi pela primeira vez utilizado num doente tratado por Breuer e por Freud. Utilizando a hipnose, Breuer fazia reviver na memória do indivíduo, algumas cenas importantes que estavam esquecidas, e provocava uma descarga afetiva com lágrimas, cólera e raiva. Este método de tratamento, iniciado por Breuer, resumia-se nos seguintes aspetos: existência de um trauma psíquico devido a um acontecimento emocional forte e que não teve manifestação por ações ou palavras no tempo certo e deste trauma surge o mal psíquico, alimentado pelos restos daquela emoção reprimida, e que permanecem no inconsciente. O indivíduo não tem conhecimento consciente do trauma, isto é, não se lembra dos factos ou do acontecimento específico que provocou o mal e, assim, era submetido à hipnose para reviver esse momento. No estado hipnótico, o psiquiatra provoca a lembrança dos pontos importantes ligados diretamente às causas da histeria e também provoca fortes emoções vindas daquela lembrança. Essa memorização e essa descarga emotiva tem um efeito purificador, libertando a mente do indivíduo do problema, ou seja, trata-se de uma purificação que traz cura - daí a denominação de método catártico.
Podemos encontrar efeitos catárticos em várias psicoterapias como, por exemplo, no psicodrama.

Como referenciar: catarse in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-20 13:08:55]. Disponível na Internet: