catodoluminescência

A catodoluminescência é um caso particular de luminescência. Esta última consiste num fenómeno, presente em certas substâncias, que se traduz pela capacidade que estas têm de serem capazes de emitir luz sem terem de ser excitadas termicamente.
De acordo com o género de energia utilizada para excitar as substâncias, assim se distinguem diversos tipos de luminescência.
A catodoluminescência ocorre quando a energia excitadora provém dos eletrões (bombardeamento de eletrões).
Nesta técnica utiliza-se um cátodo de uma válvula eletrónica ou de um retificador de vazio que, ao ser aquecido pela passagem de uma corrente elétrica, é excitado emitindo eletrões. O cátodo incandescente pode ser de aquecimento direto, quando o próprio cátodo é aquecido até ao branco incandescente (2980 K), emitindo diretamente eletrões, como é o caso dos cátodos de volfrâmio-tório e de aquecimento indireto.
Os cátodos incandescentes são geralmente tubos de metal revestidos com óxido de bário e são conduzidos à incandescência através de um filamento resistivo localizado no seu interior. A capa de óxido que reveste este tipo de cátodo possui temperaturas menos elevadas, da ordem dos 1000 a 1300 K e apresenta uma capacidade de emissão eletrónica bastante desenvolvida.
Como referenciar: Porto Editora – catodoluminescência na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-17 22:49:26]. Disponível em