Chac

Também denominada Chac Mol, Ah Tzenul (a que dá comida aos outros), Hopop Caan (a que dá luz ao céu) ou Ah Hoya (a que urina), era a deusa maia da agricultura e consequentemente da abundância.
De bom carácter, ajudava os homens protegendo os campos de milho e ensinando-os a cultivar vegetais.
As cerimónias para pedir chuva a esta deusa consistiam em abstinência sexual e jejum feito pelos homens, que passavam um certo período de tempo fora da aldeia. Mais tarde Chaca tornou-se parte de um grupo de quatro divindades protetoras (Bacab) que sustentavam o céu de cada um dos pontos cardeais, sendo o Este dedicado a esta deusa (que sob esta forma mudou de sexo).
O sapo era o animal identificado com a deusa, pois o coaxar indica a proximidade da chuva revivificadora.
É habitualmente representada com uma serpente enrolada (símbolo da água) no cabelo, lágrimas dos olhos que não veem a escorrer pela face, um nariz comprido virado para cima e dois dentes encurvados.
O seu culto verificava-se especialmente em Yucatan, e, tal como o deus asteca Tlaloc, subdividia-se em seres chamados chacs.

Como referenciar: Chac in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-11-18 04:00:13]. Disponível na Internet: