Chet Baker

Trompetista jazz norte-americano, nascido Chesney Henry Baker Jr., em Yale, Oklahoma, a 23 de dezembro de 1929, e falecido em Amesterdão a 13 de maio de 1988. Mudou-se com a família para a Califórnia em 1940 e, se logo no liceu já andava às voltas com o trompete, foi só em 1952 que a sua carreira deu um salto em frente, quando Gerry Mulligan o convidou para o seu quarteto. Muito rapidamente, o seu aspeto de galã de Hollywood e a sua reputação de rapaz mau, fizeram de Baker o símbolo do modo de vida vertiginoso e perigoso do cool da West Coast. Sucederam-lhe coisas terríveis, como, por exemplo, num ajuste de contas com traficantes de droga partirem-lhe os dentes com um taco de basebol. Com condicionalismos físicos acrescidos, Chet Baker, tenaz, acabou por adaptar as suas limitações às exigências técnicas do instrumento. Depois, foram as longas digressões europeias, claramente para fugir das autoridades e dos credores. E, nesta espiral para o abismo, o seu estilo ia ficando cada vez mais despojado e mais melancólico. O estilo de Chet Baker é a prova irrefutável de que, no jazz, o sentimento é mais importante do que a técnica. Não deve ter havido trompetista mais "pobre" do que ele, quase sempre reduzido aos registos baixo e médio do instrumento, com uma paleta tímbrica limitadíssima, com um fôlego de curto alcance e fazendo uso de um pequeno punhado de notas, expelidas numa lentidão murmurante.
Em baladas, como "The Touch of Your Lips", quando Chet cantava, a sua voz era um fio esvaído, quase sonâmbula. Por outro lado, a sua reputação vinha do simples facto de nunca ter deixado de tocar, a despeito da vida que levou.
Tudo acabou no dia 13 de maio de 1988, em Amesterdão. A versão oficial reza que Chet Baker morreu, ao cair da janela do segundo andar do hotel em que estava hospedado.
Como referenciar: Chet Baker in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-27 06:41:58]. Disponível na Internet: