Chick Corea

Pianista norte-americano, de nome completo Armando Anthony Corea, nasceu a 6 de junho de 1941, na localidade de Chelsea, no estado norte-americano de Massachusetts.
Numa carreira de cerca de quatro décadas, Corea influenciou várias gerações de músicos de jazz, alargando as fronteiras deste estilo musical. Começou a aprender piano aos 4 anos e familiarizou-se desde a sua infância com a música de nomes como Charlie Parker, Dizzy Gillespie, Bud Powell, Lester Young e Horace Silver.
Na década de 60 gravou as suas primeiras composições, acompanhou o trompetista Blue Mitchell (no período de 1964 a 1966) e lançou Tones For Joan's Bones (1966), a sua primeira gravação como líder de grupo ao piano. Os seus primeiros trabalhos revelaram uma aproximação à música latina decorrente dos contactos com músicos como Willie Bobo, Cal Tjader, Herbie Mann e Mongo Santamaria. Em 1968 gravou um dos seus maiores clássicos, Now He Sings, Now He Sobs, formando um trio com os músicos Miroslav Vitous e Roy Haynes. Depois de acompanhar Sarah Vaughan durante um ano, juntou-se ao grupo de Miles Davis, de 1968 a 1970, para tocar piano elétrico, facto que impulsionou decisivamente a sua ascensão no mundo do jazz. O passo seguinte foi a formação da sua própria banda, os Circle, juntamente com o baixista Dave Holland, o baterista Barry Altschul e o saxofonista Anthony Braxton. Durou três anos o percurso dos Circle, após o qual Chick Corea mudou de rumo. Em 1971, fundou os Return To Forever, um grupo de afinidades samba, com Stanley Clarke no baixo, Flora Purim na voz, Airto Purim na bateria e Joe Farrell nos instrumentos de sopro. Após dois anos com esta formação e dois álbuns gravados, bem como alguns trabalhos em piano a solo, Corea entrou no mundo da fusão eletrónica, exibindo um estilo inovador no sintetizador elétrico e incorporando na banda o baterista Lenny White e o guitarrista Bill Connors. Em meados da década de 70, e com Al Di Meola no lugar de Connors, os Return To Forever lideravam o movimento de fusão com álbuns como Where Have I Known You Before (1974), No Mystery (1975), galardoado com um prémio grammy e Romantic Warrior (1976). Após o fim do grupo, Chick Corea surgiu numa variedade de contextos relacionados com conjuntos eletrónicos, música clássica, piano a solo e duetos acústicos com artistas como Herbie Hancock e Gary Burton. Lançou ainda os álbuns Leprechaun (1976, premiado com dois grammy), My Spanish Heart (1976) e Musicmagic (1977), o último dos quais marcou o regresso dos Return To Forever, agora com a vocalista Gayle Moran. Outros projetos incluíram Mad Hatter (1978), RTF Live (1978), e colaborações com artistas como Joe Henderson, Freddie Hubbard, Hubert Laws, Chaka Khan e Nancy Wilson, entre outros.
Em 1985, fundou um novo grupo de fusão, a Elektric Band, cuja formação veio a incluir o baixista John Patitucci, o guitarrista Frank Gambale, o saxofonista Eric Marienthal e o baterista Dave Weckl. Alguns anos mais tarde, formou o seu Akoustic Trio com Patitucci e Weckl.
O ano de 1992 permitiu o realizar de um sonho de longa data de Chick Corea: com o empresário Ron Moss fundou a Stretch Records, uma editora empenhada em alargar as fronteiras da música, focalizando as suas prioridades em projetos criativos e inovadores. De entre as suas primeiras edições contaram-se trabalhos de músicos como Bob Berg, John Patitucci, Eddie Gomez e Robben Ford.
Em 1996, foi editada Music Forever & Beyond, uma caixa de cinco CDs contemplando trabalhos de 1964 a 1996. Esta edição marcou a saída da GRP Records. O seu primeiro álbum a ser editado pela sua própria editora, a Stretch, foi um tributo ao pianista Bud Powell. Neste projeto, Corea contou com a participação de Roy Haynes, que havia tocado com Powell nos anos 60, Kenny Garrett, Joshua Redman, Wallace Roney e Christian McBride. Ainda em 1996, Chick Corea lançou uma gravação com a St. Paul Chamber Orchestra, com Bobby McFerrin como maestro, intitulada The Mozart Sessions. Mcferrin e Corea gravaram ainda o seu primeiro dueto, Play, que conquistou um prémio grammy.
Em 1997, Corea trabalhou com Gary Burton, com quem já não contactava musicalmente desde 1977, aquando do álbum Crystal Silence. Desta vez, o resultado foi Native Sense - The New Duets, que proporcionou o nono grammy a Chick Corea.
Em finais do mesmo ano, formou os Origin, cujo álbum de estreia foi o registo ao vivo Origin - Live At The BlueNote. Em 1998, Corea lançou um conjunto de seis discos intitulado A Week At The Blue Note, e que espelhou o começo fulgurante do grupo e a enorme recetividade da parte do público. Entre os temas que o grupo incluiu nos seus concertos contam-se "Four" (Miles Davis), "Blue Monk", "Straight, No Chaser", Four In One" (Thelonious Monk), "Tempus Fugit" (Bud Powell), "Bird Feathers" (Charlie Parker), "Bewitched, Bothered & Bewildered" (Rodgers-Hart), "Matrix", "Hand Me Down" e "Sifu" (Chick Corea).
Em 1999, Corea lançou Change, a terceira gravação dos Origin. No final do mesmo ano editou Corea Concert, uma gravação com a London Philharmonic Orchestra que constituiu o realizar de mais um sonho no seu percurso musical: compor e gravar o seu próprio concerto para piano. A gravação é composta por "Piano Concert No. 1", dedicado ao espírito da liberdade religiosa, e uma nova versão de "Spain", um dos maiores êxitos de Corea.
Chick Corea já passou pelos palcos portugueses, tendo atuado no Festival Seixaljazz com os Origin, em 3 de novembro de 1998.
O músico tem já uma extensa coleção de edições, contando com diversas compilações e atuações ao vivo. No capítulo das aparições ao vivo, é de referir a atuação do pianista em dueto com o grupo rock Foo Fighters, na edição de 2003 dos grammy, interpretando uma versão alternativa do tema "Times Like These", da banda americana. Ainda nas edições discográficas, destaque para The Complete IS Sessions (2002), Rendezvouz in New York (2003) e Very Best Of (2004).
Como referenciar: Chick Corea in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-20 07:54:38]. Disponível na Internet: