Chico César

Compositor, cantor brasileiro e poeta, Francisco César Gonçalves nasceu a 26 de janeiro de 1964, em Catolé da Rocha, no interior da Paraíba, no Brasil. Nascido numa família pobre do sertão, em plena era de opressão política do Brasil, o pequeno Francisco frequentou, depois da escola primária, um colégio franciscano alemão, graças à ajuda de uma tia que, por ser lavadeira do colégio, conseguira uma bolsa de estudos para ele e para algumas das suas irmãs. Completando a sua formação, Francisco chegaria à Universidade Federal da Paraíba para frequentar o curso de Comunicação. Mas, muito antes disso, já despertara o seu interesse pela música. Aos 8 anos de idade, trabalhou numa loja de discos e, também nessa época, as freiras do colégio presentearam-no com uma pequena flauta. Foi com ela que brincou à música pela primeira vez. Aos 10 anos, Francisco inventava instrumentos com os amigos e tocava músicas que iam ouvindo. Aos 14, o grupo Ferradura desbravava terreno em pequenas festas locais, sempre com Francisco César no comando. Com 16, Francisco muda-se para João Pessoa, um povoado vizinho, e lá conhece os irmãos Paulo Ró e Pedro Osmar. Eles mostram-lhe outra linguagem musical, instruindo-o em coisas tão variadas quanto a poesia concreta, a música experimental, a música do mundo, Mao Tsé Tung e o cinema.

Em maio de 1985, com 21 anos, Francisco muda-se para São Paulo, continuando a trabalhar como jornalista. A sua música não era muito bem aceite na metrópole e, nessa fase, a atividade musical resumiu-se a pequenas aparições em bares e teatros alternativos, já que a mistura nordestina não cabia nas casas mais modernas e era experimental demais para chegar às casas de forró. Depois de uma breve passagem pela Alemanha, a convite da sociedade cultural Brasil-Alemanha, retorna ao Brasil firmemente decidido a apostar na carreira musical. Participando em alguns festivais brasileiros, com o projeto Câmara dos Camaradas, depois rebatizado Cuscuz Clã, gravou o registo Aos Vivos, em 1994, gravado ao vivo, apenas com voz e guitarra, e contando com as participações de Lenine e do guitarrista Lanny Gordin. O álbum chegaria às lojas um ano depois, merecendo alguma curiosidade das rádios paulistas. A canção "À Primeira Vista", regravada por Daniela Mercury para a telenovela O Rei do Gado, tornar-se-ia um êxito imediato. A consagração chegou com Cuscuz Clã (1996), segundo álbum que, além de conseguir um desempenho comercial relevante, lhe deu os prémios Sharp, na categoria de revelação e de melhor compositor, da APCA. Estava dado o primeiro passo para uma caminhada de edições que gradualmente foram sendo aceites pelo público brasileiro, não mais estranhando as misturas curiosas de Chico César. As digressões internacionais dos anos seguintes confirmavam que, além do Brasil, Chico tinha conquistado também as gentes de além-fronteiras, dos EUA. ao Japão e à Europa. Em 2005, iniciando a sua faceta de escritor, Chico César publica o livro de poemas Cantáteis - Cantos Elegíacos de Amizade.

Discografia 1995, Aos Vivos
1996, Cuscuz Clã
1997, Beleza Mano
2000, Mama Mundi
2002, Respeitem Meus Cabelos Brancos
2005, Odeio Rodeio e Brega
2005, De Uns Tempos Para Cá

Como referenciar: Chico César in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-18 23:11:46]. Disponível na Internet: