chuva radioativa

A chuva radioativa consiste na deposição de partículas radioativas em suspensão na atmosfera. Ao produzir-se uma explosão nuclear geram-se temperaturas elevadíssimas, as quais vão provocar o aquecimento do ar circundante e a sua consequente subida para as camadas mais elevadas. Este ar aquecido transporta consigo partículas originadas, na sua maioria, nos incêndios provocados pela explosão e na própria poeira do solo. Estas partículas vão funcionar como aglutinadoras dos isótopos formados no rebentamento nuclear (mais de 300), convertendo-se assim em poeiras radioativas.
A velocidade de deposição depende do tipo de explosão: explosão ao nível do solo, deposição imediata no espaço de horas (partículas grandes associadas a isótopos de vida curta); explosão de solo e na atmosfera, deposição imediata das partículas maiores e intermédia das partículas menores, em dias e meses (associadas a isótopos de vida média e transportados pelo vento).
A deposição imediata origina uma radiação intensa de pouca duração; a deposição intermédia dá origem a uma radiação menos intensa mas mais duradoura.
Como referenciar: chuva radioativa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-24 00:05:51]. Disponível na Internet: