ciclo de Bethe-Weizsacker

O ciclo de Bethe-Weizsacker, como o próprio nome indica, é um processo atómico descoberto em 1938 pelos físicos Hans Albrecht Bethe (1906-) e Carl Friedrich von Weizsacker (1912-), que explica a produção de energia no Sol e noutras estrelas. Quatro núcleos de hidrogénio (protões H) juntam-se para formar um núcleo de hélio (He) (fusão nuclear). Neste processo ocorre uma transformação de uma fração mínima da massa original dos protões em energia. A formação produz-se através do carbono (C) e do azoto (N) por meio de seis processos individuais (ciclo carbono-azoto). A quantidade de energia que se forma por cada núcleo produzido é 4,0x10-12 J. Os protões podem também transformar-se por meio do deutério e de um isótopo do hélio, de massa atómica 3, em hélio normal. As reações protão-protão são mais eficazes a temperaturas inferiores a 16 milhões de graus Kelvin, sendo as do ciclo Bethe-Weizsacker, mesmo assim, mais eficazes acima da referida temperatura.
Como referenciar: ciclo de Bethe-Weizsacker in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-07 19:45:51]. Disponível na Internet: