Círculo de Viena

É conhecido por este nome o grupo de pensadores (filósofos e cientistas) centrado na Universidade de Viena à volta de Moritz Schlick, professor de Filosofia da Natureza na dita universidade, entre 1922 e 1936. Era inicialmente apenas um grupo que se começou a reunir de modo sistemático por volta de 1924.
Em 1929, o Círculo de Viena dá a conhecer, de modo breve, os seus princípios, em Conceção científica do mundo - Círculo de Viena. Reconhecem aí os seus autores que este movimento se enquadra no âmbito mais geral do empirismo, evidenciando o seu espírito antimetafísico. A revista Erkemtnis foi o órgão público deste grupo de 1930 até 1938, data em que a Áustria foi invadida pela Alemanha. Pertenciam ao grupo, entre outros, Rudolf Carnap, Friedrich Waismann, Karl Gödel e Philipp Franck.
As influências do Círculo de Viena fizeram-se notar sobretudo nas décadas de 30 e 40, mas ainda hoje são patentes, desde a Europa aos Estados Unidos, na chamada filosofia analítica.
A filosofia passa, com este grupo, a ser concebida como uma mera análise lógica da linguagem, no sentido em que os únicos enunciados válidos são os analíticos e os sintéticos a posteriori das ciências da natureza, procurando conciliar as exigências do empirismo com as da lógica.
Como referenciar: Círculo de Viena in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-25 06:04:33]. Disponível na Internet: