ciúme

O ciúme é um conjunto de emoções desencadeadas por sentimentos de alguma ameaça à estabilidade ou qualidade de um relacionamento íntimo valorizado. As definições de ciúme são muitas, tendo em comum três elementos:
1) reação a uma ameaça percebida;
2) rival real ou imaginário; 3) reação que visa eliminar os riscos da perda do objeto amado.
O ciúme patológico é uma perturbação do conteúdo do pensamento, sendo uma ideia delirante. Há uma crença patológica e uma convicção inabalável de infidelidade por parte do parceiro sexual. Esta ideia delirante reflete fenómenos que não aconteceram e que são experimentados como sendo verdadeiros. Há um conflito com a realidade. Não há argumentação lógica possível para combater estas ideias e também não há sentimento de autocrítica por parte do ciumento.
Em termos psicológicos, o sentimento de ciúme patológico é a necessidade de domínio e de poder absoluto sobre o outro. Existe um conflito entre a realidade e a imaginação, onde somente um objeto imaginário pode satisfazer o ciumento. Para Freud, há uma projeção sobre o parceiro dos seus próprios desejos inconscientes de infidelidade e de traição.
Em questões de ciúme, a linha divisória entre imaginação, fantasia, crença e certeza frequentemente torna-se vaga e imprecisa. No ciúme as dúvidas podem-se transformar em ideias sobrevalorizadas ou delirantes. Depois das ideias de ciúme, a pessoa é compelida à verificação compulsória das suas dúvidas. O ciumento verifica se a pessoa está onde e com quem disse que estaria, ouve telefonemas, examina bolsos, roupas íntimas e segue o companheiro. Toda esta tentativa de aliviar sentimentos, além de reconhecidamente ridícula até pelo próprio ciumento, não ameniza o mal-estar da dúvida.
O que surge no ciúme patológico é um grande desejo de controlo total sobre os sentimentos e comportamentos do companheiro. Há ainda preocupações excessivas sobre relacionamentos anteriores, as quais podem ocorrer como pensamentos repetitivos, imagens intrusivas e ruminações sem fim sobre factos passados.
No ciúme patológico, são várias as emoções experimentadas, tais como a ansiedade, depressão, raiva, vergonha, insegurança, humilhação, perplexidade, culpa, aumento do desejo sexual e desejo de vingança. Há uma óbvia correlação entre baixa autoestima, consequente sensação de insegurança e ciúme. O ciúme patológico provém da personalidade subjacente do doente, que revela traços paranoicos, juntamente com características depressivas, frequentemente relacionados com os seus sentimentos de inferioridade sexual. Esta perturbação tem uma evolução prolongada, tendendo a piorar progressivamente. Em alguns casos, este ciúme progride até um estado de delírio paranoico.
Existe ainda o ciúme alcoólico que se trata de um tipo de transtorno psicótico crónico (transtorno delirante) provocado pelo álcool caracterizado por delírios de que o parceiro conjugal ou sexual é infiel. O delírio é acompanhado de procura intensa de evidências da infidelidade e acusações diretas que podem levar a discussões violentas.

Como referenciar: ciúme in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-06-04 02:35:51]. Disponível na Internet: