Cléon

Político ateniense, o primeiro da cidade, oriundo da plebe, apenas se sabe que morreu em 422 a. C., não se conhecendo a sua data de nascimento. Durante a primeira fase da Guerra do Peloponeso, esteve à frente da ala radical dos "democráticos" que se impôs depois da morte de Péricles (429 a. C.). Defensor acérrimo da guerra, opunha-se à linha moderada de Nícias. Graças aos seus êxitos militares obtidos sobre os Espartanos em Esfactéria (425), foi eleito estratega de Atenas em 424. Deste ano é o célebre decreto ateniense de que todas as cidades confederadas na Liga de Delos teriam que pagar uma taxa, valor que acabaria sempre por reverter para Atenas. Dois anos volvidos, em 422, Cléon, bom militar mas cioso administrador financeiro também, foi derrotado em Anfípolis por Brásidas, chefe dos Espartanos. Cléon sucumbiu nessa batalha. Com a sua morte ganhou força a tendência moderada dos "democráticos" em Atenas, acabando mesmo por se assinar uma paz com Esparta em 421, graças a Nícias.
Como referenciar: Porto Editora – Cléon na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-17 18:38:23]. Disponível em