Conde de Abranhos

Personagem central da obra póstuma de Eça de Queirós intitulada Conde de Abranhos (1925), representa o político imbecil, oportunista e hipócrita. O seu percurso ascendente, desde a altura em que, estudante em Coimbra, consegue benesses junto de um lente depois de denunciar um colega por carta anónima, até ao momento em que, já deputado, trai o seu partido transitando para a oposição, passando pelo casamento de conveniência através do qual obtém uma cadeira em São Bento, é o do arrivista sem inteligência e sem escrúpulos. Abranhos incarna, assim, os vícios do sistema constitucional.
Como referenciar: Conde de Abranhos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-01-17 00:27:44]. Disponível na Internet: