Congresso de Rastatt

Congresso convocado depois da assinatura do Tratado de Campo-Formio que restabeleceu a paz entre a França e a Áustria para ajustar as condições entre os membros da corporação germânica. O Congresso reuniu-se no mês de dezembro de 1797. Em março de 1798 foi aceite a cedência da margem esquerda do Reno à França, iniciando-se, por outro lado, intermináveis discussões para se saber como compensar os soberanos despojados, distribuindo-os pela margem direita. O Congresso estava condenado, pois estas discussões, como se disse, vão eternizar-se e só terminarão em abril de 1799, com o início de uma nova guerra chamada a da Segunda Coligação (ou Coalisão). Os membros dispersaram-se e os três plenipotenciários franceses, ao sair da vila, foram assaltados à noite por hussardos austríacos que mataram dois deles: Bonnier e Roberjot.
Este atentado teve uma grande repercussão e foi denunciado como um crime do Governo austríaco; segundo hipóteses avançadas em diversos trabalhos, e hoje em dia consensuais, o Governo austríaco terá ordenado o assalto aos embaixadores franceses apenas com o intuito de se lhes roubar os papéis, enquanto o assassinato se deveu à precipitação de um oficial subalterno.
Como referenciar: Congresso de Rastatt in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-19 15:00:18]. Disponível na Internet: