Conquista da Pérsia pelos Árabes

O imperador Heráclio e o rei Kavadh (que reinou um curto período depois de Cosroes II) tinham já recebido notícias em árabe de um indivíduo que se autodenominava Maomé, mensageiro de Deus. Maomé morreu em 632, mas a sua missão foi prosseguida pelos seus sucessores, os califas. Em 633, sob a direção dos seus generais, os exércitos muçulmanos invadiram o Iraque e a Síria. A maior parte deste último país, incluindo Damasco e Jerusalém, foi ocupada durante os cinco anos seguintes. Em 637 foi conquistada a capital sassânida, Ctesifonte. A partir de então, a conquista da Pérsia por parte do Islão era inevitável.
Os exércitos persas foram derrotados em Nihavend em 641 e, dez anos depois, o último rei sassânida, em fuga, foi assassinado, em Jurasan, terminando assim o império sassânida, que perdurou durante mais de quatro séculos.
Como referenciar: Conquista da Pérsia pelos Árabes in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-12 10:59:44]. Disponível na Internet: