Conquista de Constantinopla

Depois de recuperar das derrotas sofridas contra Tamerlão na Ásia Central, no início do século XV, os turcos otomanos avançam em direção ao que restava do velho império bizantino. Em 1453, o sultão Maomé II sitiou Constantinopla. As forças da cidade eram pouco numerosas, ao contrário dos turcos que, para além da vantagem numérica, contavam com a melhor artilharia de cerco de toda a Europa, além de bombardas (canhão curto de grande calibre para arremessar balas de pedra). Os bizantinos fecharam a entrada do porto de Constantinopla (o chamado Corno de Ouro) por meio de correntes; contudo, durante a noite os turcos arrastaram para ali 70 barcos sobre tábuas recobertas de sebo. O cerco prolongou-se durante 53 dias. Em 29 de maio deu-se o assalto final e a cidade caiu nas mãos dos turcos. O último imperador bizantino, Constantino Paleólogo, morreu no combate. Maomé II entrou solenemente em Constantinopla e converteu-a na terceira e última capital do Estado, rebatizando-a com o nome de Istambul.
A queda da antiga capital do Império Romano do Oriente causou grande choque em toda a Europa. Desde então, o grande império turco ou otomano tornou-se uma ameaça constante para os reinos europeus.
Como referenciar: Conquista de Constantinopla in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-26 21:14:54]. Disponível na Internet: