Conselheiro Acácio

Destinado a representar no romance O Primo Basílio, segundo o próprio autor, "o formalismo oficial", é uma das figuras mais célebres da galeria queirosiana, incarnando a banalidade, a vacuidade e o convencionalismo burguês. Antigo diretor-geral do Ministério do Reino, nomeado conselheiro por carta régia, cavaleiro da Ordem de Santiago, autor de uma Descrição das Principais Cidades do Reino e Seus Estabelecimentos, entre várias obras de economia política, é fisicamente alto, magro, pálido, calvo, de bigode farto, vestido de preto. O seu discurso é tão fátuo quanto as suas ideias. "Nunca usava palavras triviais; não dizia vomitar, fazia um gesto indicativo e empregava restituir. Dizia sempre "o nosso Garrett, o nosso Herculano". Citava muito. Era autor. No entanto, apesar da veemência com que sempre se reclamava dos princípios da ordem e da moralidade pública, vivia amancebado com a criada.
Como referenciar: Conselheiro Acácio in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-19 23:37:26]. Disponível na Internet: