Coreia

A Coreia é uma região peninsular da Ásia Oriental, entre o mar Amarelo e o mar do Japão, ligada ao continente pela fronteira com a China e separada do Japão pelo estreito da Coreia. A sua língua oficial é o coreano e as religiões dominantes o budismo e o confucionismo. Encontra-se politicamente dividida em dois estados: a Coreia do Norte ou República Popular Democrática da Coreia; e a Coreia do Sul, ou República da Coreia do Sul.

A Coreia do Norte tem uma extensão de cerca de 120 538 km2, com uma população de 19.185.000 habitantes. É uma república unitária dividida em nove províncias e dois distritos, com capital em Pyongyang. Faz fronteira com a China ao longo de 1300 Km, e grande parte da sua área territorial é montanhosa. Na agricultura cultiva-se principalmente o arroz, o milho e a soja; mas a indústria assume maior importância nos setores químico, metalúrgico, siderúrgico e mecânico, em parte pela abundância de minérios, como o ferro, a hulha, o zinco, o chumbo e a lignite. O comércio externo é praticado essencialmente com a China. A unidade monetária é o novo won.
A Coreia do Sul estende-se por uma área de 98 824 km2 e contava com uma população de 19 185 000 habitantes em 1983, apresentado uma densidade populacional bastante superior à da Coreia do Norte. Também dividida em nove províncias e dois distritos, tem a capital em Seul. A maioria da população dedica-se à agricultura, nas culturas de batata, tabaco, soja, cevada e arroz. A pesca é também uma atividade importante, bem com a exploração de ferro e prata. A indústria é pouco desenvolvida e ligada aos setores têxtil, da conserva de peixe e do tabaco. O comércio externo faz-se com os EUA e o Japão. A unidade monetária é o won.

A Coreia foi povoada pela primeira vez pelas tribos Tungus, cuja identidade cultural viria a marcar profundamente o território. Entre o século II e o século I a. C., a região esteve sob domínio chinês, que deu origem à formação de três reinos: o de Kokuryo, o de Paikche e o de Silla. O reino de Silla torna-se dominante acabando por assimilar os outros dois. À dinastia Silla sucede em 935 a dinastia Koryo que, a médio prazo, é debilitada no seu poder político pela ascensão do clero budista e mais tarde pelas invasões mongóis (1260). A nova dinastia Yi instala pela primeira vez a capital em Seul. No século XVI, a Coreia consegue evitar uma invasão japonesa, mas no século XVII cai uma vez mais sob a dominação chinesa. Acaba por se tornar uma colónia japonesa entre 1910 e 1945, depois de ter sido envolvida nas guerras sino-japonesas de 1894-95 e nas guerras russo-japonesas de 1904-05.

No fim da II Guerra Mundial a Coreia vê-se mais uma vez ocupada: a norte pela URSS; e a sul pelos EUA, criando-se uma fronteira no paralelo 38. Em 1948 a Coreia do Sul declara-se uma república independente sob a liderança de Syngman Rhee e no mesmo ano o Norte proclama-se como República Democrática Popular da Coreia, governada por Kim Il Sung. Em 1950 deflagra uma guerra entre as duas Coreias, resultante de graves tensões internas, com a participação dos EUA e da China. O Tratado de Panmunjon, celebrado em 1953, veio pôr fim a esta guerra, sem que nenhuma das partes saísse vencedora.

A Coreia do Sul desenvolve até 1985, ano de eleições legislativas, um sistema político autoritário e repressivo, abalado por golpes de Estado e manifestações populares. Atualmente, está numa fase de liberalização, crescimento económico e expansão, com a sua imagem reforçada pela organização do Mundial de Futebol de 2002, com boas prestações da sua seleção nacional e com as tentativas de aproximação à Coreia do Norte. No Norte, Kim Il Sung mantém-se no poder até 1980, ano em que lhe sucede o seu filho, Kim Jong Il; o filho deste, Kim Jong Un, é em 2010 anunciado como o sucessor para o cargo, assumindo o poder no final do ano seguinte.
Como referenciar: Coreia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-26 07:00:47]. Disponível na Internet: