Cristóbal Balenciaga

Estilista espanhol nascido a 21 de janeiro de 1895, na localidade basca de Guetaria, e falecido em 1972. Foi-lhe atribuído o título de "arquiteto do vestido", dada a perfeição com que elaborava os seus vestidos.
Na sua juventude, aprendeu costura com a mãe e o jeito demonstrado para esta atividade levou uma marquesa a apostar em Cristóbal, pagando-lhe os estudos de estilismo em Paris. Paralelamente, financiou a abertura, em 1915, da sua primeira loja de alta-costura, situada na cidade de San Sebastian, para onde o estilista se tinha mudado aos 16 anos. Nascia, assim, a casa Balenciaga. Depois de ter dedicado algum tempo a vender roupa, que comprava em armazéns, abriu uma loja chamada Eisa, o nome da sua mãe, que viria a ter filiais em Barcelona e Madrid. No entanto, em 1937 fugiu à Guerra Civil de Espanha, fechou os seus estabelecimentos e com o apoio financeiro de algumas das suas clientes mudou-se para Paris, onde abriu, com grande sucesso, uma casa de moda. A elegante precisão das suas peças foi a base do êxito de Balenciaga. A partir de 1946, começou a fazer vestidos que viriam a ser os precursores do estilo new look implantado por Christian Dior na década de 50. Lançou também o primeiro perfume com a marca Balenciaga, chamado "Le Dix", que acabou por voltar a dar-lhe a desejada estabilidade financeira. Ainda nesta época, tornou-se o primeiro costureiro a nível mundial a usar materiais sintéticos e tecidos estampados com leopardos e répteis. Desde 1951, Balenciaga preparava o seu novo estilo, de cintas mais caídas, que contudo só teve a aceitação total em finais da década de 50. Em 1957, criou o estilo baby doll, uma das suas maiores contribuições para o mundo da moda. Entretanto, o estilista basco nunca deixou de experimentar novos tecidos, assim como a construção do espaço interior dos vestidos, que pareciam flutuar. A preferência por formas curvilíneas foi seguida por várias estilistas que se iniciavam na época e que passaram como aprendizes pelo seu atelier, como foi o caso de Givenchy, Courréges, Ungaro e de la Renta. A partir de 1968, a carreira de Balenciaga entrou em declínio. Incapaz de sacrificar a qualidade artesanal das suas criações, optou por fechar o estabelecimento em Paris, mantendo apenas a linha de perfumes. Quatro anos mais tarde, a 23 de março de 1972, Cristobal Balenciaga faleceu em Javea, depois de ao longo da sua vida ter vestido personalidades como Marlene Dietrich e Helena Rubinstein.
Como referenciar: Porto Editora – Cristóbal Balenciaga na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-24 19:06:36]. Disponível em