crossopterígeos

Subclasse de peixes pertencentes à classe dos osteicties, com uma única espécie viva atual, caracterizada pela presença de escamas distribuídas de forma densa e com tamanho semelhante por todo o corpo. As barbatanas pares são pedunculadas e a barbatana caudal é assimétrica (heterocérquica). O grau de ossificação do esqueleto é muito variável e as vértebras podem ter ou não corpo vertebral. Os dentes são cónicos ou em forma de placas. São de especial interesse os raros e mal conhecidos componentes desta subclasse que permitiram estudos que levaram à compreensão de forma muito segura da maneira como as formações pares nadadoras, barbatanas pares dos peixes, se tornaram evolutivamente em órgãos de marcha dos vertebrados terrestres.
Até 1938 só se tinham encontrado fósseis destes peixes e admitia-se que tinham sido extintos há 60 ou 70 milhões de anos. O primeiro exemplar vivo foi apanhado em 1938, ao largo da África do Sul e foi estudado pela conservadora de um museu, Courtenay-Latimer. Em homenagem a essa conservadora de museu foi designado cientificamente, enquanto género, por Latiméria. Posteriormente outros exemplares foram pescados, um ou dois exemplares por estação, por pescadores das ilhas Comores. É possível que utilizem as fortes barbatanas peitorais e pélvicas para procurar presas no lodo do fundo marinho. As profundidades a que são apanhados variam mas, em geral, ocorrem entre os 200 e 300 metros.
A espécie viva única denomina-se Latiméria chalumnar e designa-se com o nome vulgar de celacanto.
Como referenciar: Porto Editora – crossopterígeos na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-18 08:38:49]. Disponível em