cúmulos estrelares ou enxames

Muitas das estrelas da Via Láctea agrupam-se em múltiplos sistemas, que estão isolados das outras estrelas por enormes distâncias. Mas podemos verificar que algumas estrelas estão ligadas entre si pela força da gravidade, pelo menos durante algum tempo. A Via Láctea apresenta sistemas de estrelas de dois tipos contrastantes: cúmulos ou enxames abertos, algumas vezes, também, designadas por cúmulos galácticos e cúmulos globulares ou fechados.
Os cúmulos abertos ou galácticos encontram-se no plano médio da galáxia, nos braços, e têm formas pouco definidas. Contêm menos estrelas que os cúmulos globulares e não apresentam uma condensação central significativa. São sistemas em formação, pois ainda contêm nuvens de gases e poeiras. As suas estrelas dominantes são as azuis (muito jovens).
Os cúmulos globulares ou fechados têm uma condensação central mais brilhante rodeada de uma zona mais difusa de grande superfície. Podem ser esféricos, estão muito estabilizados, apresentam muitas estrelas vermelhas e carecem de matéria interstelar. Formam o halo galáctico. As suas idades oscilam entre seis mil e quinhentos e dez mil milhões de anos.
Devido a esta diferenciação de cúmulos, as estrelas dividem-se em duas populações, a população I constituída por estrelas jovens incluídas geralmente em cúmulos abertos ou glácticos e a população II, mais velha, que predomina nos cúmulos globulares.
Como referenciar: cúmulos estrelares ou enxames in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-26 13:03:16]. Disponível na Internet: